Número total de visualizações de página

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

* No século trinta e um
     A ficção científica, nos séculos vinte e vinte e um inventou muito sobre os transportes e os meios de locomoção. Surgiram então muitas ideias ligadas ao aproveitamento do magnetismo, da força da gravidade, do electromagnetismo. Tardaram muitos anos em encontrar as bases dos transportes que agora, neste século trinta e um, empregamos e que resultam da conjugação daquelas forças e da força nuclear. Só muito mais tarde os humanos encontraram forma de aproveitar a fusão nuclear nos transportes de pessoas e coisas, investigação que custou muitas vidas e disparates com guerras nucleares quase iam eliminando o planeta. Não comunico aqui e aos terráquios, a solução porque provocaria acidentes e provavelmente uma dessas guerras nucleares que surgiram anos depois, apesar de tentativas muito intensas para abandono da construção de armas nucleares.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

* No século trinta e um
   Ano três mil e dezoito, depois de Cristo,
   Sou talvez um descendente dum maduro senhor meu antepassado do século vinte e um.
   Consultando a biblioteca virtual encontrei algumas referências à vida  desse meu antepassado. Em particular um livro que me entretive a ler, livro com muitas previsões, entre elas algumas relativas ao século em que me encontro.
    Passo a referir as que têm sido confirmadas, Omito as catastróficas, porque não pretendo falar em desgraças, palavra pouco empregue nestes tempos, palavra que se encontra mencionada nos dicionários actuais como rara, sem aplicação, nada acontece nestes tempos que tal palavra possa ser aplicada.
As desgraças que ocorreram até aos séculos vinte e cinco ou vinte e seis, nem por acidente aconteceram semelhantes nos tempos deste século trinta e um . Porque os transportes são seguros, as epidemias não existem, a doença só atinge ligeiramente os humanos, os terramotos são de previsão segura a arquitectura é segura contra eles e contra outros exageros com que por vezes o clima nos contempla, porque também a previsão meteorológica  nos permite sempre, contemplar com interesse e curiosidade tudo o que a natureza nos concede. A chuva, o vento, o frio e o calor que esta nos concede, são ocorrências que encaramos como normais, nas ausências e nos extremos. E servem-nos mais para nos distrairmos que para nos preocuparmos. A chuva e o vento inspiram-nos bailados, o frio e o calor aproveitamo-los para a nossa diversão e a tecnologia no sentido melhor e mais eficaz , ampliando o que os inventores do século vinte e vinte e um iniciaram nos seus primórdios.
      A transmissão virtual  informa-me o espírito que esta mensagem vai sendo muito visitada pelo que amanhã desenvolverei este tema.

sábado, 20 de janeiro de 2018

*  Incompreensivel
     Há gripe em Portugal, Mas quando é que não houve gripe em Portugal? Parece haver uma total irresponsabilidade pela propagação da ú. Ver as salas das urgências, nos hospitais, cheias de gente  num ambiente fechado,  sem qualquer protecção contra a gripe ou outras doenças infecciosas ali transportadas por algumas das pessoas presentes,   não é, não representa uma grande falta de respeito pela saúde de todos os que estão nessas salas aguardando consulta e que poderão ali permanecer por  motivo diferente da gripe? Porque não exigir o uso da máscara a todos os que ali se apresentam inscrevendo-se e pagando uma consulta? Quem ali está pode estar são, pode aguardar, por exemplo, o curativo para uma ferida. Ao Estado sairá mais barato, até pode ser cobrado o custo duma máscara que evitará aos não contaminados a infecção pela gripe.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

*   Um livro explêndido onde nos podemos instruir sobre a intuição e a razão - "Pensar depressa e devagar", do nobel de economia Daniel Kahneman - entre o muito que nos ensina, refere extensivamente o sistema 1 que  analisa a intuição e os reflexos imediatos da nossa mente e o sistema  2, que analisa o que a razão nos pode dar se conseguimos suster, suspender a intuição. Passa depois para outros temas de forma atractiva e fascinante, utilizando amiúde os processo heuristicos do ensino.
     Com muitos exemplos que nos estão prendendo à sua leitura.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

*  Intuição e análise
 Na abordagem dum problema surge-nos  por vezes de imediato, uma resolução intuitiva, ainda que com frequência não encontramos, depois,  essa solução como a mais correcta e, de forma genérica, nem pensemos ou nos debrucemos mais sobre o assunto, tomamos de imediato  a nossa decisão.
    No entanto, a experiência que possuimos sobre o mesmo tema poderá determinar com maior ou menor intensidade o tempo para a tomada da decisão. É o caso do jogador de xadrez profissional e de grau elevado na sua classificação e que, perante muitas situações nas peças no tabuleiro, decide de imediato qual a melhor jogada.
  A heurística, na resolução de problemas é uma ferramenta importante ao dispor da mente, reformulando os problemas, transformando-os noutros mais simples e de resolução quase automática. Ou seja, é uma especie de truque que facilita a resolução de problemas e a tomada de decisões.
      

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

*    No lado de lá
      Para além da saude física, da saude do corpo, não menos importante é a saúde mental. Essa poderá considerar-se, como a ssúde do espírito e esta como um conjunto de condições que nos permitem pensar, sentir, prever, raciocinar, descobrir, imaginar de forma livre, sem amarras, sem preconceitos, sem entraves, sem condições, sem algemas ou grilhetas que nos torçem a razão, sem qualquer força, por indelevel que seja, a perturbá-la ou incliná-la num sentido que sai fora do que sentimos em total liberdade.
     Não é fácil elaborar esse bom cardapío para o espírito. Muito mais dificil que definir o que é bom para alimentar o corpo será o de enumerar tudo o que necessitamos para bem conservar a saúde do espírito. Talvez mesmo quando estamos bem ausentes, no sono profundo, este signifique o que há de melhor para alimentar o espírito.Parece um paradoxo, mas não é verdade que depois dum sono profundo o nosso espírito regressa à razão em melhores condições?
    Eis um assunto de interessante especulação e discussão.

  

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

*
   12 - Bem estar e saude
    Tirando partido das varnhas mágicas,, que podem misturar o que se queira sem alteração dos elementos que possuiem, passei a usar um processo simples de comer saladas quase todos os dias.É o que eu chmao papalada, que não é mais que uma mistura,usando a varinha mágica dos compone.ntes que usamos na salada. Alface, tomate , pepino, cenoura, oregãos, alho, cebola, cuminhos, etc.. Deste modo poderemos assim fazer uma papalada diferente todos os dias. Não a devemos aquecer, como, por norma, não aquecemos a salada . E reperesenta uma fonte diaria de vitaminas e sais minerais e de antioxidantes, contituindo um alimento agradavel de consumir e onde podemos incluir alimentos vegetais que usualmente não elegemos para as saladas. 
    Mas não esquecer que deveremos tomar os mesmos cuidados que temos com os componentes das saladss. Bem lavados e frescos. E o ideal, ainda que hoje muito dificil de verificar,. serem produtos de agricultar que não lhes aplique nem insecticidas nem herbicidas.