Número total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Trinta mil euros por mês

           Aquele administrador ganha 30.000 euros por mês.É uma imoralidade ? Vejamos:
               -Paga 45% de IRS.........................................................   !3.500 euros
               - Renda casa, adequada ao seu "status"...........................    2.500   "
               - Condutor da sua "limousine"...........................................   1.500   "
               - Jardineiro.......................................................................   1.000   "
               - Segurança da casa, sua e da família................................    1.000   "
               - Universidade e transportes dos dois filhos......................        900  "
               - Empregadas domésticas................................................     2..000  "
               - Segurança social dos empregados.................................      1.200  "
               - Mesadas  para os dois filhos universitários.....................      1.200  "
               - Outros gastos familiares (esposa, aniversários, lembranças
                 de Natal, dia do pai, dia da mãe, bombeiros, seguros, etc.).   3.500  "
                                                                     TOTAL              28.300 euros
                                                                     SALDO                1.700 euros

             Eu tenho uma reforma de pouco mais  de 1.400 euros(32 anos de serviço, 8 meses na tropa e o resto como agrónomo e professor), também pago IRS mas não preciso  de pessoal ao meu serviço. E um administrador, convenhamos, tem outras despesas que eu não tenho : fatiotas novas, contribuições para o partido, almoços obrigatoriamente caros,etc.
             Devem, portanto, aumentar-lhe o ordenado !
             E a mim não, carago, a crise é real !

sábado, 29 de maio de 2010

          Nos anos quarenta do século passado
          No jardim de Portimão plantado ao pé do rio
          Nas noites de verão, quem não ia  ao cinema
          Ia aos cafés ou passear no jardim
          Os rapazes saltavam, riam, brincavam
          As mamãs e as meninas
          Passeavam, sempre às voltas no jardim
          E os homens, nos cafés,
          Sentavam-se e conversavam.

          Mais tarde, nos anos sessenta
          Nas noites de verão, quem não ia ao cinema
          Já pouco ia ao jardim
          Os rapazes casavam e namoravam
          As mamãs já tinham televisão
          E nos cafés, os poucos homens
          Que ainda conversavam

         E nasceu o novo século
         Baptizado de vinte e um
         O jardim ainda lá está
         Mas rapazes, mamãs e meninas
         Nenhum.
         E homens que conversem nos cafés,
         Poucos

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Vou encher a mala

Já enchi a mala e vou partir para o horizonte
E encontrar-me contigo onde o vento me deixar
Depois de acabar o tédio, o pesadelo e a frustração
E de não mais me vergar mais que à vida
De não mais me importar com as tentações
Com a indiferença, as incertezas, as preocupações
Nem sequer com a rima e a elegância destes versos

quinta-feira, 27 de maio de 2010

A outra igreja de Portimão

     A outra igreja em Portimão, chamada igreja do colégio foi convento até à república e hospital até meados  do século XX,Antes da segunda guerra mundial o movimento de consultas diárias era impressionante (duas ou três) e mensalmente tinham alta um ou dois dos hospitalizados.Não eram admitidos doentes com tosse, diarreias, dores de cabeça, flatulências, ou padecimentos de gravidade semelhante .E os partos sempre na casa das senhoras mães. Em Portimão tinham consultório cinco médicos .

Aviso

   Este aviso no museu de Palos (de onde partiu C.Colombo para a descoberta da América em 1492) deveria nos nossos tempos, ser  exposto em todas as bibliotecas.
   Naquela época, apesar de que os castigos e as multas eram mais severas e sem prescrições, também alguns atentavam contra o que era do interesse comum.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Igreja matriz de Portimão

               Esta porta e a parede por detrás do altar (que era da muralha do castelo), foi o que restou desta igreja, após o terramoto de 1755), construida em Portimão no século XIII, se não estou em erro.
              Só no século XX foi reconstruida pelo benemérito senhor Maravilhas. Ali gastou grande parte da sua fortuna,  ficando apenas por reconstruir a torre do lado esquerdo. Até hoje, não houve qualquer iniciativa para a reconstrução dessa torre,como se vê na foto da fachada actual dessa igreja..
             Gasta.se tanto dinheiro nesta  cidade, em fogos de artifiicio e noutros fogos e para este monumento, visitado e fotografado por tantos turistas, não há dinheiro.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Na próxima vida

            Peço que na próxima vida Deus me conceda
            Viver num jardim plantado à beira dum riacho
            Com uma árvore que me fale e me recorde
            Muitos segredos agradáveis que desconheço
            Que as suas flores, sejam  sorrisos
            E cada folha, uma lembrança
            Que o seu tronco, erecto e firme
            Me recorde toda a família
            E as raízes, profundas e à superfície
            Toda a alma que pressinto na nossa casa.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Quero escrever

          Quero escrever muita coisa sobre coisa nenhuma
          Visitar palácios ainda não construidos
          Tirar fotos ao nada que me aconteceu
          Partir para uma aventura, ficando-me por aqui
          Embalar tudo o que é lindo e não comprei
          E que jamais,jamais tirarei daquela montra
          Deixar sossegados os livros da minha biblioteca
          Não os ofendendo, reduzindo-os a microfilme
          Quero que os que mais quero me entendam
          Quando falo sozinho, estando calado
          E escutar em profundo silêncio
          Tudo aquilo que consta deste meu fado

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Almeida Garret e a sua mula

           Estou lendo "Viagens na minha terra" , de Almeida Garret (perdoem-me se cito o autor, algum aluno do liceu pode , por acaso. ler esta mensagem). Li-o há muitos anos e agora lei-o com prazer redobrado.ecomendo--o a quem já o leu há muitos anos e aos outros também. Que riqueza de escrita ! Utiliza palavras que hoje pouco se usam, mas que são as palavras certas para as frases que elabora. Quando fala na mula em que chega ao Cartaxo, diz que se apeou da azémola. : na mesma palavra menciona o meio de transporte - a mula - e o estado decrépito em que a mula se encontrava.
          Não devemos desprezar a riqueza da nossa língua.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Flores

        Todas as flores são bonitas
        Quer as deixem em liberdade no canteiro
        Ou mesmo que as obriguem à triste condição                  
        De escravas a um vaso submetidas.
        À mesa do mais pobre,do mais simples
        Do mais rico ou do mais aperaltado
        Sem precisarem de água de colónia
        Nem sequer dum traje de cerimónia

segunda-feira, 17 de maio de 2010

            Sempre que vejo flores num jardim
            Sinto que há uma ténue diferença
            Entre o que na verdade eu sinto
            E o que sinto quando vejo uma flor igual          
            Com o caule cortado e um pouco enterrado
            Na terra de um vaso de barro, ou de cristal
                
          
            Lã fora, na terra dum jardim,
            Seja dum palácio, seja duma cabana,
            Da semente plantada com carinho
            Sempre surge a maravilha duma planta.
            Uma mulher, um homem, ou  até uma criança
            Sejam pobres ou sejam ricos, abastados ou remediados,
            Sempre enterram uma semente cheios de esperança
            
                

domingo, 16 de maio de 2010

418 mensagens


         Até hoje contribui com 418 mensagens escritas neste blog. A média diária de visitantes é quase dois, o que me parece  baixo,ridículo, dado que o blog está disponível para os 6 biliões de habitantes do planeta. No entanto fazendo bem a avaliação talvez não seja tão ridículo. Vejamos :
               - Metade dos habitantes não sabe ler. Já são apenas 3 biliões.
               - Da outra metade, um terço não pode ir ler o que diz um computador.Fica um bilião.
               - Destes, só um quinto tem computador.Ficam 200 milhões.  
               - Dos quais,um quinto chegam a casa cansados,e ao domingo querem ir ao futebol ou jogar à bisca. Ficam 460 milhões.        
               - Destes,metade andam a viajar em negócios, turismo, namorando, etc..Ficam 23o milhões.
               - Destes, um quarto são jovens que não se interessam por blogues. Ficam 172,5 milhões.
               - Destes, inválidos para ler, doentes, dementes,172, 4 milhões(menos de 2% da população  mundial, o que não me parece muito).Ficam  1oo.ooo .
               - Eliminem-se metade, os que não conseguem pensar, nem têm paciência para ler alem das receitas de cozinha ou as anedotas do dia. Restam 50.000,em todo o mundo.
               - E destes, pelo menos 49.990 não sabe ler português. Ficam dez.
         Não é assim tão ridículo que me leiam quase dois homens e mulheres todos os dias.
         A estatística tem os seus perigos, mas é uma boa ferramenta, (a sério ou a brincar, pr'á política ou p'rá  vaidade).
               -

sábado, 15 de maio de 2010

Programas de ensino

        Nas provas de aferição do nono ano do ensino liceal apresentaram-se aos alunos perguntas  como estas : numa prova de português diga qual é o sujeito e o predicado da oração que aqui se apresenta ; numa de matemática apresentavam-se, numa figura, oito objectos. A pergunta : quantos objectos cabem a cada uma de quatro pessoas.
            

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Impostos e desimposto

         Considero que o aumento de 1% para o IRS é muito injusto. Para quem ganha o salário mínimo representa 5 euros. O aumento será de 1,5% para quem ganhe mais de , se não estou em erro, 18,ooo euros por ano.E por aí ficam ! Será que o dr. Passos Coelho não descortina a injustiça ? Quem ganhe p. ex., cem mil
(100.000) euros anualmente pagará mais  5oo euros. Quem ganha o salário mínimo fará o sacrifício de  comprar menos um quilo da carne mais barata. Quem ganhe 100.000 euros terá que prescindir de comprar um anel de ouro. Qual é o maior sacrifício ?
         Nunca tantos, recebem tão pouco, de tantos.  

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Os discos rígidos

     Há muitos homens(muito mais que mulheres) que aceitam tudo o que outros homens ( e muito mais que outras mulheres) lhes querem impingir, desde o que os "menus" aconselham até às ideias propagadas por qualquer arrivista em moda.Como um disco rígido de grande capacidade.Pelo que vemos tantos desses cavalheiros feitos conselheiros em cerimónias muito concorridas, ostentando medalhas indefinidas no cheviote e recebendo galardões por serviços prestados e bem pagos em emprego de nomeação "a dedo".
     Tal como um disco rígido, obedece fielmente ao dedo do dono e a outros autorizados para lhe ditar intenções,ordens, projectos. Resiste bem, mas em silêncio, às poeiras das notícias, à luz da verdade, às tentativas de manuseio improfícuas pelo abrigo da palavra-passe.
      Raramente acontece, mas por vezes o disco parte-se.        

terça-feira, 11 de maio de 2010

Para a mãe dos nossos filhos

          Estou pensando na desorganização dum livro de versos.
          Se é para ser organizado, não será um livro de versos.
          Poderá cantar a lua,as estrelas, as carícias de mãe, o amor da mulher.
          Misturando-as numa desorganização bem organizada
          Com os sonhos, as fantasias, os devaneios
          Que eu vou colhendo por aí, num lado qualquer

           Um livro que acabe não se saberá bem onde,
           Que tenha algum pó das estradas que percorri,
           E  pitadas de sal dos mares que cruzei.
           Que a primeira página tenha o numero 127
           Ou outro mais bonito que é o 87
           E entre duas folhas, o retrato da mulher que sempre amei
          

O que as mulheres e os homens inventaram

  Desde há três milhões de anos, as mulheres e os homens inventaram muito. Quase sempre por necessidade.Inventaram as cabanas, os utensílios para a sua vida, na casa na pesca, no mar. Inventaram a escrita, a roda, o vidro, as armas, o sextante, os barcos, os carros, os automóveis, os aviões. Inventaram quase tudo o que pouco tempo antes era considerado incrível e irrealizável. E hão de inventar a forma de acabar com o dinheiro, ou uma maneira de o substituir sem os seus inconvenientes, cada dia mais numerosos.
   Um dos poucos impossíveis,pela negativa, é acabar o amor que eu tenho pela minha família.
    Por ela faço tudo, mesmo o que pareça impossível, incrível ou irrealizável.  

segunda-feira, 10 de maio de 2010

No que já li

Nos jornais que folheei e nos mil livros que já li,
Ninguém escreveu sobre o sorte ou má sina,
De ter nascido nesta condição humana,
De não ter nascido cobra, leão, ou simplesmente flor.
E neste princípio de século em que muito se escreve,
E quase só de incómodos, de economia, de crises,
Nunca vejo ninguém parar para pensar,responder e escrever
Qual seria a melhor forma de nascer,
Se homem, cobra, leão, pássaro ou flor.
Mas hoje estou bem convencido,
Que a minha Mãe, quando eu nasci,
E como todas as mães dos homens, das mulheres,
Das cobras, dos leões, dos pássaros e das flores,
Soube a resposta.

Dedicado à minha filha caçula (com flores numa rua de Oslo)

Deixem-me flutuar no meu arco-íris de esperanças
Deixem-me fugir das frustrações do quotidiano
E rebentar com a armadura das convenções
E beijar as mãos e a face sorridente da alegria
Deixem-me,de vez em quando,voltar a pensar como uma criança

domingo, 9 de maio de 2010

Não me importo

            Não me importo com as coisas lindas, lindas, que não comprei,
            Não me preocupo com as inúumeras oportunidades que perdi,
            Nem sequer me lamentar por tantos beijos que não dei,
            Apenas me inquieto se um dia não sou capaz
            De ter esperança, ilusões e fantasia.    

Esta bonita

             Não gosto de apresentar uma planta sem mencionar o seu nome.Mas não resisto e apresentar esta, que me garantiram  em Oslo, que cresce desde pequena, com esta forma. Se se tratasse de planta podada continuamente para ser sempre assim esférica, nem a fotografaria. Detesto ver plantas dominadas pela tesoura para serem redondas, cúbicas ou paralelepipédicas..
             As plantas, nossas parentes ancestrais devem deixar-se crescer  livremente, como os humanos.
             Embora muitos se esforcem para que cresçamos doutra forma,moldados à sua maneira..

sábado, 8 de maio de 2010

E agora ?

             Que vai acontecer no fim e no rescaldo desta guerra económica e financeira? Ficarão alguns trocos ou teremos que carregar uma mala cheia de notas para pagar um café ? O dólar, dizem, quer acabar com o euro. Daqui a pouco tempo será o yuan reminbi (a moeda chinesa) a querer acabar com o dólar. E depois talvez seja a rúpia indiana a querer acabar com o yuan.
             Talvez que como resultado desta guerra que no final o homem decida acabar com o dinheiro .
             Porque não se faz uma experiência nesse sentido? custaria mais barato, podem crer, às finanças de qualquer país do que custa alimentar a corrupção, o desperdício, o compadrio ou "partidrio" .
             Se estiverem interessados peçam-me o meu livro, onde o demonstro. Envio-o por email. De borla.

Ouvi de novo...

         Voltei a ouvir a nona sinfonia de Beethoven.Aquelas variações mágicas que ele compôs no fim da vida ! Uma cobertura de beleza e de alma, da sua música. Oiçam-na ! na centésima vez que a ouvirem descobrirão segredos guardados para os que a ouvirem mais de 99 vezes. E lembrem-se que ele a compôs com total surdez.
         Não acredito que ele tenha desaparecido. Porque, estou convencido que quando o corpo de alguém desaparece  na terra ou no fogo, a alma continua iluminando outras paragens.
         Deus não nos colocou aqui apenas para propagar a espécie.
         Que vai melhorando, vai. Daqui a pouco tempo (o que é,no tempo, um milhão ou dois de anos?) , teremos um outro "homo" , que talvez seja depois chamado  " homo virtuosis". 

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Impunidade Impunidade I

            Como é possível que por ser da nossa família - seja a do sangue, do clube ou do partido - admitir a um parente, um sócio ou a um membro da confraria, que qualquer acto lesivo para outro que não é parente, nem sócio, nem membro da confraria, não seja admoestado, mas antes sempre levado à conta de irreflexão, não sem  de imediato referir a consideração e o respeito pelo mesmo sujeito.
            Dás com o pau no vizinho. Mas és boa pessoa, tenho muita consideração por ti, respeito-te muito.
            Mas não me dês a mim com o pau.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mas também em Oslo

      Mas também em Oslo se vêm as ruas ornamentadas com maravilhas destas.

A foto referida na mensagem anterior

Em Oslo

          Com salário mínimo cinco vezes o de Portugal, na Noruega também se vêem mendigos na rua. Como a da foto que aqui insiro, tirada na rua principal de Oslo.
            Na Noruega, onde tudo custa 3 a 5 vezes o que custa em Portugal, mas com o salário mínimo cinco vezes o de Portugal, tambem se vêem mendigos nas principais ruas de Oalo. Como o da foto que junto, tirada na rua principal de Oslo.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Pasmem-se !

          Pasmem.se, admirem-se, entretenham o vosso espírito observando não só para a frente, até as mulas só olham para a frente quando lhes tapam a visão à direita e à esquerda, reparem também no que se passa ao lado e  lá para  trás. Por vezes é muito curioso o que se passa lá atrás, depois de passarmos.
          Os mais materialistas dizem " eu cá só olho em frente ! "
          São os que não sabem o que é a saudade.

Mais uma vez abri o tempo

         Como eu gosto de proceder, hoje abri o te-m- po e lá dentro vi uma quantidade de maravilhas : vi os meus netos e as bisnetas saindo das universidades, casando, tirando bagagem ao dinheiro,  povoando com elas as suas casas, viajando pelo mundo e bebendo e comendo com os amigos. Alguns dirão que isto de abrir o tempo é fantasia parva. Mas vejam bem, no meio do tempo estão dois - , ou seja, dois tracinhos ou hifens ou como raio os queiram chamar. Dentro deles é que, se prestarem atenção, se se concentrarem, se usarem o que lhes ficou depois de esquecerem tudo o que aprenderem, dentro deles vão encontrar, como eu encontro, muito do que está no futuro dos meus descendentes, dos meus parentes e amigos.
           Abrir o tempo,como a meditação, leva-nos a pensamentos agradáveis, com imagens inseridas pela poesia, pela amizade, pelo amor. Talvez até pela fantasia.
           Agora, que descobri o segredo, estou verificando que acontece  muito do que eu vi, há dias, há meses, há alguns anos, quando abri o tempo.
           Em momentos em que o presente não existia.  

segunda-feira, 3 de maio de 2010

domingo, 2 de maio de 2010

O porto de Lisboa

           O cais do porto de Lisboa para barcos de Lisboa só tem dimensão  suficiente para receber um barco semelhante aos da Royal C. , como o "Vision of the seas" . Esse cais continua com o cais dos contentores, antes situado para montante de Santa Apolónia. Perdemos desta forma a visita de muitos paquetes de turistas, cada um trazendo muitas centenas de visitantes(turistas e tripulações dos barcos).
           Senhores que governam os destinos de Portugal : visitem  Vigo, La Coruña, Le Havre, Amsterdão, Oslo,  e tantos outros onde poderão observar a localização desses cais, e como os contentores são sempre descarregados  longe do cais para os paquetesbarcos. Se querem um solução decente, consultem os que projectaram esses portos. Como o de Barcelona, cujo projecto e construção foram financiados, segundo um tripulante que exerce um dos cargos mais importantes no "Vision of the seas",  pela Roeyal Careebean !

sábado, 1 de maio de 2010

Um belo cruzeiro

            A grande virtude dum cruzeiro, em minha opinião, está no tempo que temos para pensar, comparar, tomar decisões sobre o futuro, conhecer outras gentes, nacionais e estrangeiros, saborear outros "menus".
           Num navio, ainda que com as dimensões dum paquete como aquele em que fizemos o cruzeiro, recordamos sempre a nossa casa, a família e os amigos que deixámos onde vivemos nos tempos fora das férias.
           Pagámos por estes oito dias de cruzeiro. menos de metade do que pagaríamos num hotel de cinco estrelas em Portugal. Refeições óptimas, saunas, banhos turcos , piscina normal e piscina interior aquecida e serviços impecáveis de  atendimento no quarto e nos restaurantes. E conhecem-se outras  belas cidades. Por isso há centenas de  navios efectuando cruzeiros em todo o mundo.
            Passe a propaganda, vale a pena um pouco de sacrifício durante o ano, para fazer um cruzeiro. Nem que seja para descer o Danúbio ou subir o Reno .