Número total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

médicos de família,cubanos

Ontem soube,pela SIC que há médicos cubanos a trabalhar em Portugal como médicos de família.
Não sei se a notícia foi incompleta se além dos 300(sim, TREZENTOS)euros que recebem mensalmente da embaixada cubana,eles ainda receberão outras "benesses" como rendas de casa pagas,alimentação paga ou outras. E, segundo depreendi, o governo português paga e entrega o salário desses médicos,(salário que não foi indicado),à embaixada cubana ou a uma empresa cubana, e esta entrega magnâninamente 3oo euros por mês a cada médico cubano, aqui colaborando como médicos de família no Alentejo e no Algarve.
Após cinquenta anos de "amplas liberdades" em Cuba, é disto que resta ? Será verdade ?!
Sempre quero ver o que dizem e comentam sobre este assunto, os nossos democratas, nos jornais, na televisão e na assembleia da republica.
Provavelmente,nada.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

aquela ceia...

Aquela nossa ceia do Natal...a perna do #cordero de Sevilha", antecedida pelo "bacalhau à minha nora", regado pelos diversos vinhos que por receita médica tive que provar, antecedido por uns aperitivos inventados recentemente e que sempre comemos exactamente quando estávamos cheios de fome e ansiando pelo #cordero de sevilha#, enfim, para terminar, a mousse de chocolate, o arros doce à moda da minha nora, o cheese kake que ensinei a fazer à minha dileta esposa(grande mentira,a do ensinar a fazer o arroz doce, não o da dileta esposa,esta é que me tem ensinado muito do que sei,desde o dia em que começámos a namorar,é verdade! ), os bombons,etc..
Como para esquecer a crise comi um pouco de tudo e muito do que mais me desaconselhava a prudência, devo ter perdido uma carrada de neurónios que estou recuperando com a dieta que não faço, com o exercício físico que irei fazer e com a boa disposição que mantenho.
Daqui p'rá frente, irão ver os meus progressos.Preparem-se.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Vocês dão-me licença ?

Esta é das tais perguntas que alguns, mal formados em diplomacia, apresentam no meio da conversa ou da discussão.
É uma pergunta que pressupõe resposta afirmativa, que indica um desejo irrecusavel sob pena de incorrecção, que apresenta um pedido duma licença grátis(se se apresenta o custo respectivo,como é próprio de todas as licenças,constituirá uma ofensa paradoxal).
É uma pergunta hipócrita porque quem a faz sabe qual a resposta, só espera pronta anuência de quem o ouve, só aceita a resposta que lhe convem.
É uma pergunta deselegante porque o objectivo primeiro é calar os que estão falando.
É uma pergunta pretensiosa porque julga "verdades como punhos" e de importância sem limites, o que tem para dizer.
Se me dão licença...

domingo, 27 de dezembro de 2009

Qem dá aos pobres...

"Quem dá aos pobres, empresta a Deus". Não concordo,permitam-me o atrevimento. Mas argumento:
1.- Dar com perspectiva, seja ela qual for, não é dar.Pode dizer-se que dar é oferecer, entregar, contribuir. Uma oferta pressupôe, dá ideia duma retribuição, uma entrega é como que uma troca, um toma lá dá cá, uma contribuição estará sempre ligada ao que se recebeu antes.
2.- Quem dá,empresta? Que coisa horrivel.
3.- E a Deus! Que coisa mais impossivel! Que vaidade, que tolice, que estultícia!

Nem sempre a voz do pôvo é a voz da razão. Penso que se há retribuição divina, será por outras causas. A Luz atinge-nos por motivos mais elevados, fora do alcance da nossa razão. Ninguém, verdadeiramente, os conhece ou pode conhecer.

O prazer de dar

É grande, experimentem.
E,se conseguirem dar sem expectativas, é enorme.
Acreditem.
E se entregarem a dádiva sem qualquer reacção de dúvida, começarão a compreender o que é a Luz.
Mas é dificil, o tempo é que a concederá.

Uma bilionária

Provavelmente até é uma pessoa simpática, essa senhora de Angola que tem uma fortuna de muitos millhares de millhões de dólares, menos trinta ou quarenta por cento em euroa, o que vem a dar na mesma. Para mim tem o mesmo valor. A partir de mil milhões de euros não conheço qual a diferença importante, a única diferença, para mim, são os números dos seus balanços, os zeros das suas contas bancárias. Já teria muito mais valor, para mim, se, pelo menos, o dízimo do que lhe entra na fortuna, fosse destribuido em Angola. Que essa senhora,provavelnmente até bem simpática, compre todos os dias aqui, uma ou duas empresas, um ou dois negócios, um ou dois bancos, fico satisfeito, ajuda os seus amigos portugueses a sair da crise.
Deverá sentir-se cada dia mais realizada.Só duvido é que se sinta feliz.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Pensar grande

Um defeito vulgar é pensar pequeno,pequenino,pequeníssimo.Vemos muito por aqui e por aí.Também eu andei muito por aí.Felizmente parece-me que já me libertei bastante.P.ex. antes de construir a vivenda da minha família, ainda pensei em resignar-me a contrair um empréstimo para comprar um apartamento.
Lembro-me, provavelmente muitos ainda se recordam o que foi a luta contra a barragem do Alqueva,antes da revolução de abril/74. Mas o obra lá está,feita depois do 25/4/74 e proporcionando já a rega de quase vinte mil hectares.Lástima é que agora não se estaja construindo ali, e em grande, um parque produtor de energias alternativas, não será dificil imaginar porquê.
Eu,talvez já se aperceberam,discordo muito deste governo,do PM. Mas os novos grandes investimentos, a linha férrea que permita levar as mercadorias para a Europa, o novo aeroporto de Alcochete,etc. não deverão ser abandonados, deverão ser mantidos com a mesma firmeza e determinação. Que há outras prioridades? Apresentem-nas,discutam-nas.Que se deve combater o desemprego? Apresentem propostas concretas, o governo que encontre modos de financiá-las e executá-las. Que o país estará muito mais endividado do que já está? Apresentem propostas e apreciem as propostas do governo.
Mas,por favor, pensem em grande.
E agora, hoje, Natal se saíssimos da "apagada e vil tristeza" dos dias anteriores ?
Agora, sem favor algum, pensem em grande !

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Nada

O nada o que é ? Por vezes ouvimos dizer "ou tudo ou nada!"vejamos se conseguimos definir o nada.É o que está dentro dum frasco vazio ?bem, lá dentro pode haver ar, se tiramos o ar fica o vácuo, dizem então: "o frasco não tem nada". Mas então, o nada pode estar dentro de algum frasco? Por vezes ainda reforçam dizendo,não tem nada de nada,nadinha.E pode ter nada? Assentemos ideias.Para mim o nada é zero,está entre o menor infinitésimo positivo e o maior infinitésimo negativo,se é possivel estar alguma coisa entre eles.E sem ser matematicamente falando,para maior compreensão da maioria,vejamos o que rezam os distintos dicionários.Entre muitas definições, que o nada tem grande importância,respigamos algumas bem curiosas:
- "Ausência quer absoluta quer relativa de ser ou de realidade".
Definição filosófica.Ficamos na mesma.E o resto.Se eu estou ausente quer dizer que não há nada ?
-"Ausência de quantidade"
Definição pouco rigorosa.De quantidade de quê? será ausência de vácuo ? então neste caso, sem vácuo o que é que fica ?
-"O que se opõe ao ser"
Nas o que vem a ser isto,explique-me senhor dicionário !
-"Expressão de desacôrdo."
P.ex.,quando se diz "nada feito".
Caramba,até se pode fazer nada...ou não ?

faço tenção

Desculpem-me.Ontem na mensagem falta um ponto,entre o 1 - Google e 0 2- ver o meu perfil completo,deverão clicar em digamos 1A- faço tenção.Portanto,para evitar confusões,se pretenderem ler as citações do padre António Vieira
Google > faço tenção > ver o meu perfil completo > os
meus blogues > faço tenção

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

blogue faço tenção

Estou escrevendo citações e excertos diversos dos sermões do padre António Vieira.Muitos ou quase todos aplicam-se nos nossos tempos. Se tiverem interesse em lerem-nos:
1- ir ao GOOGLE (na web não conseguem)
2- ir a VER O MEU PERFIL COMPLETO
3- ir a OS MEUS BLOGUES
4- ir ao blogue FAÇO TENÇÃO

estas festas, estas horas...

Na singularidade do tempo em que vivemos modificamos certas tradições por razões esquisitas. A noite de 24 para 25 de Dezembro e esse dia 25, há muito que são considerados tempos de festa de família, com as ofertas mútuas, a ceia, o presépio, etc.. Mas o tempo tem vindo a mudar o caracter destes dias, passando a sentir-se como que uma obrigação, um dever uma promessa. Quando deveria ser apenas considerada uma festa bonita, natural, como eu a considero. Mas não compreendo,entre outra coisas, porque uns senhores que orgulhosamente se proclamam ateus, chegam ao Natal e também, obrigatoriamente, oferecem e aceitam presentes e cumprem com uma tradição própria de quem acredita que nessa noite nasceu o menino Jesus.
Eu,sigo e gosto da festa do Natal que a fammília organiza,porque a família se reúna com gôsto,com amor,com alegria. E porque acredito em Deus. No entanto confesso que gosto mais de oferecer quando me dá na minha pouco real gana e a quem me apetece. Tenho muito mais prazer numa oferta inesperada ou numa ceia improvisada sem data.E por vezes,aqui para nós, não me apetece nessas noites de Natal, oferecer o que quer que seja a certas pessoas.
Sempre detestei cornetas,despertadores ou calendários para decidirem a minha vida e as minhas horas. E as horas mais importantes das nossas vidas,a de nascer e a de morrer, quem as decide é Deus.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

este blogue

este blogue só aparece na Google.Na Web não sei porquê, não.

Bom Natal e ano nôvo melhor

-Para todos os que me leem aqui e ali um bom Natal e um ano novo melhor !

sábado, 19 de dezembro de 2009

O diabo(semanário)

De vez em quando compro o semanário"o diabo".Chamem-me conservador,
reaccionário,o que quiserem.Muitos de vocês,eu sei-o, compram-no ou leiem-no às escondidas. Eu compro-o porque bastas vezes traz verdades imensas que não se leem noutros jornais ou semanários.
Por exemplo, no último "o diabo" à venda :
-"Portugal à beira da bancarrota"
É mentira? Dizem-no vários economistas da nossa praça.
-"Dívida do País é maior do que a riqueza produzida durante um ano inteiro."
É mentira? Perguntem quanto devemos,não respondem,já se apontam números.Na vossa casa (e não é crime a comparação)estariam contentes e felizes se devessem mais do que ganharam durante este ano? Vá façam um esforço e respondam.
-"Mas sócrates ignora avisos "não estou preocupado"..."
Pudera!Só se preocupa quem antes se ocupou.
Abram "o diabo" da terça-feira passada e leiam o resto. Vale o sacrfício.
Quando aparecerá outro padre(ou sem ser padre)António Vieira? E nos seus tempos(séc.XVII)havia e imperava a inquisição, que muito o perseguiu.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Alzheimer

Não sou médico.Mas do que que tenho lido e ouvido sobre essa enfermidade ainda não vi notícia ou artigo que a encare sob um ângulo diferente.
Os sintomas estão bastante definidos embora parece-me que ainda falta descobrir alguns. P.ex.como se diagnostica a diferença de duração da enfermidade ? um padecente de Alzheimer pode sobreviver,dois ou três até quinze anos,ou talvez mais.Um amigo meu não resistiu pouco mais que dois anos. Outro,há uns dez anos apresentou os primeiros sintomas e ainda resiste. Não sei se a genética ou alguns exames ao sangue ou ao cérebro podem definir esse tempo, talvez até defini-lo seja um gesto pouco humanitário e discutível.Há diferenças marcadas com a demência senil mas a perda de faculdades mentais é semelhante : perdas de memória,incapacidades diversas da mente.E ambas as enfermidades terminam de forma semelhante, estado terminal numa vida vegetativa sem prazo,o cérebro reduzido à sua expressão mais simples : controle básico do coração e das actividades respiratória e digestiva.
Refiro tudo isto porque tenho interesse em saber como vai progredindo a investigação neste domínio, se há alguma esperança. A investigação sobre todo o corpo humano tem progredido imenso nos últimos anos. Nos últimos cinquenta anos a esperança de vida subiu mais de vinte anos em muitos países, Portugal incluído. A medicina, nos diagnósticos, nas especialidades, na investigação, nas técnicas e nos sucessos, deu passos de gigante. Muito grandes e devemos afirmar que muito lhe devemos e que por vezes se ouvem ou se lêem acusações muito injustas. Dos que, por vezes pouco mais tarde, vêem a sua estadia na vida prolongada devido aos cuidados médicos e hospitalares. Seria curioso e instrutivo saber quantos doentes,depois de curados, agradecem aos que contribuirão para a sua cura.
O ângulo diferente deveria ser uma maior,mais aprofundada investigação sobre a protecção do cérebro a partir dos quarenta anos de idade ou talvez até menos. Poderia começar por um inquérito às famílias, em particular aos seus membros de mais de quarenta anos : os hábitos,a actividade mental e física,a alimentação,as maiores carências,os excessos.
É provável,oxalá que isto e muito mais já esteja a ser feito.
Mas se alguém quiser ajudar-me nesta cruzada,informem-me e desculpem a opinião e este arrazoado de um leigo.
As mensagens nos blogues também podem continuar, como até aqui, a ser úteis.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Ai, o negativo !

A um colega meu, chamavam-lhe o "negativo" porque, na praia, ainda muito novo, mas com o cabelo todo branco, ficava queimado, quase negro, na pele da cara e do corpo. Embora fosse considerado simpático por todos os que a ele se referiam, a mim era-me indiferente, só mais tarde compreendi porquê.
Tudo o que é negativo incomoda-me, primeiro que tudo pela ausência de côr, depois porque é menos que zero, porque contem o "não", porque contraria e faz esquecer o "sim", porque é muito menos que talvez, porque a minha avÓ usava muito o "não", porque ninguem sorri de gosto com um "não", porque a negação está na alma do pessimismo, porque é uma arma da hipocrisia, das desculpas esfarrapadas, dos avarentos, porque negar um beijo é petulância, um abraço é insensibilidade, um sorriso é indiferença.

Como acaba um amjgo

Hoje visitei um amigo, daqueles de antigamente. Que está a ir-se embora. Sem o saber, taivez sem dar por isso, trazendo à mulher da sua vida outra vida diferente. Obrigada a ampará-lo, obrigada a suportar a degradação do amigo de sempre, pai dos seus filhos, companheiro de cincoenta anos de cama, casa, mesa, alegrias e infortúnios, das lágrimas de todas as perdas. Ele, com raros e cada vez mais raros e mais pequenos momentos de lucidez. Momentos em que se enraivece com a escuridão que vê chegar cada dia mais forte e em que sente dia a dia mais intensa a dificuldade do raciocínio, as falhas da memória e mais o descontrole da mente e a vergonha das atitudes.
E hoje, mais uma vez, vi o progresso da decadência que aquela doença, não sei se se pode chamar doença, como não se chama doença ao apagar duma vela que se apaga lentamente ou à decrepitude duma árvore que, por um motivo desconhecido ou simplesmente por velhice, vai perdendo lentamente as folhas, seja inverno, seja verão.
Nâo foi tristeza o que senti, confesso-o. Acreditem ou não, senti que uma luz vai tomando conta do espírito daquele tão meu amigo. O seu corpo está a acabar. Só sinto é preocupação. Preocupação que o seu espírito não tenha tido tempo suficiente para ir para onde tem que ir, para entrar naquela luz. Olhando bem para os seus olhos, pareceu-me que me queria transmitir o que já não podia traduzir em palavras.
Poder-vos-á parecer que estou sendo cretino, mas é o que sinto e aqui me confesso, também para isto servem as minhas mensagens.
Acreditem,se quiserem.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Quem tem boa memória

Ela, a minha esposa que abraço há tão poucos anos, tem uma memória de ferro.Lembra-se, a Mari recita poesias completas de clássicos espanhois e tudo o que lê fixa com rebites de aço na memória.Quando leu a mensagem que hoje escrevi,perguntei-lhe se se lembrava da senhora que vendia os "barquilleros"na praia.Sem hesitar respondeu "era a senhora Brígida!".
Espero ainda conseguir uma memória que se compare.

O que sinto à minha volta

Dei por mim a sentir coisas, comichões na alma, como se fossem arranhões do meu passado no meu futuro, como se uma nuvem me trouxesse um trovão e um raio. E ficasse envolvido numa luz, apenas uma luz muito forte, que me envolvesse todo em branco, ouvindo os meus pais outra vez a falarem em francês à mesa e como música de fundo a corneta do soldado tocando a alvorada no colégio. Acabei o "flash" a sentir por momentos a fome antes de sair para a praia no verão e o cantar da senhora...como chamava aquela senhora,como era...a cantar e anunciar "barquilheros !"

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Ai filha...

El camarero cumplia con su trabajo con la misma simpatia de siempre.
- Ai filha,já não se pode vir a Espanha,nunca passei um frio destes em Madrid.
- Deixa lá Ermelinda olha,esta comida cheira bem !
- Pois é,os talheres estão gelados,tenho o rabo mais frio que a "paelha",este empregado com cara de pau !
- Ora Ermelinda,gostas ou não gostas da "paelha" ?
- Ora,ora ! eles fazem este prato nestes tachos rasos,o arroz assim com pequena altura fica frio num instante,até os guardanapos estão frios,era melhor que fossem de papel,sei lá quantos espanhois já se limparam ao meu!
- Ermelinda os guardanapos estão lavados...
- O ar tão frio,mal se pode inspirar,olha,olha aquela que está a entrar até traz neve no chapéu,vê-se logo que é espanhola,com aquele chapeu...e dizem lá em Portugal que eles aqui estão mais bem pagos...
El camarero:
- Senõras,desean algo mas,quieren un postre,un dulce ?
- Ai filha,que diz ele? Se queremos um pote de dulce,que é isso,traduz lá !
- Ermelinda o homem pregunta se queremos sobremesa ,um dôce..
- Com este frio diz-lhe a ele que me traga um dôce quente, tudo menos a marmelada que este aqui ao lado está comendo..
- Não é marmelada Ermelinda,são "profiteroles"
- São profi quê?

domingo, 13 de dezembro de 2009

O golpe

Lembram-se da minha mensagem em 15 de Novembro ? Já só falta a indemnização, depois da sentença.

As aparências

À minha esquerda a mulher do tenente-coronel reformado, franzina, vestindo com elegância discreta uma saia-casaco modesto,com a face isenta de cuidados especiais de beleza, mãos finas e bem tratadas e um sorriso constante e franco no olhar, relatou-me alguns instantâneos da sua vida de casada e a rotina caseira actual, sem mulher a dias, com a praças e o supermercado todos os dias,sem alternativa e de resignação disfarçada pela indiferença do marido entregue a doença incurável que o remetia a tarefas repetidas de arrumar e desarrumar papeis antigos de bancos,de publicidades e de facturas da água,do gás e da EDP.
- É que sabe,quando eu lhe peço para me ajudar na louça ou na cozinha ele diz-me sempre "mais logo filha,agora não tenho tempo".
Enquanto me dizia isto servia-se sem pressas do arroz de pato e ajeitava o guardanapo.


sábado, 12 de dezembro de 2009

Ainda há destes

Ontem,por engano,tomei um alfa para o Pôrto em vez do alfa para Faro que passaria daí a pouco.Resignado a seguir até Coimbra comuniquei o meu engano ao revisor.Este e o condutor do comboio foram duma gentileza inescedivel.Não digo o que fizeram,qual foi o alfa e a hora. Com frequência a amabilidade é considerada "excesso de zelo" por quem não consegue mostrar serviço doutra forma. A expontaneidade e o à-vontade daqueles funcionários da CP demonstraram que eles são mesmo assim : nas suas funções tratam os outros seres humanos como apreciariam que os tratassem.
Mesmo com o comboio cheio.
Com gente desta talvez surja um novo projecto para o nosso país.Em gente desta deveríamos votar.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Vícios

Quando tinha dez ou onze anos, na grande caixa de lata, com plateia,geral e balcão, que era o antigo cinema de Portimão, passei horas à porta do cubículo onde o projector do filme emitia as imagens e o som para o "ecran" da sala. Ficava ali, hipnotizado, vendo a película a desenrolar-se na bobina superior da máquina. A minha melhor brincadeira eram os bocados de filmes que eu passava em casa, num projector de lata que nada projectava, e onde com uma pequena manivela, enrolava na bobina de baixo(com uns cinco ou seis centímetros de diâmetro) o filme previamente enrolado na bobina colocada por cima. Assim passava um metro de filme ou pouco mais, retirado das sobras das colagens, que o operador do cinema me oferecia de vez em quando .
O vício durou alguns anos. Acabou, passados que foram os seis anos de colégio,mais os cinco da universidade,em Lisboa. As carradas de matérias dos estudos com que preenchi e por vezes intoxiquei a memória, as dores de barriga dos exames, os namoros, os bailaricos de São João e dos carnavais,os verões a torrar na Rocha , acabaram com todos os vícios ingénuos dos primeiros anos de vida.
E assediaram-me outros, alguns muito piores e mais dificeis de lhes resistir e apagar.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Parar de escrever

Eu? não, porque :
- desaparecer do mapa desta vida, não faço tenção,nem cedo nem tarde.Aliás,se tal acontecesse, continuaria a enviar as minhas mensagens para este blogue.
- já fiz contrato comigo para não parar.E eu costumo respeitar os contratos,especialmente aqueles que não assino, tenho mais consideração por quem não me exige mais que a palavra.
- tenho a agenda repleta de assuntos para mensagens. No entanto aceito colaboração,sujeita a censura prévia.Que querem,ainda não passaram quarenta e oito anos desta pseudo democracia em vigor no nosso país, de forma a que esqueçamos os quarenta e oito anos anteriores.Mas,por este andar, onde vamos parar ? Parece-me que estão com pressa de os copiar.
- reformado que estou, mal aproveitado que sou na profissão, como não tenho geito para o negócio nem para a industria,menos ainda para a corrupção, descobri,ainda não tarde, suponho, a prazer desta ocupação,prazer que tem uma grande vantagem sobre todos os outros : ninguem m'o pode roubar.
Levo pouco nos bolsos, sou simples no trajar, pretendo ser rico no que escrevo.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Endireitar

Há alguns anos, quando alguem entrava nos domínios da chamada pouca sorte, eu ouvia dizer "tenho que ir ao endireita" que se entendia pelo mesmo que "ir à bruxa" , "fazer figas" ou o gesto de bater na madeira com os nós dos dedos ou ainda a mais antiga imprecação "t'arrenego belzebu". Pois cá para mim isso da pouca sorte,azar,"mala pata", não existe. Para mim não passa duma manifestação egoista e grosseira de reacção ao que é usual acontecer. Uma insofismavel prova de ignorância. Não ? Pensemos. (Desculpem a exigência). Pisarem-te um calo, dares uma martelada num dedo, tropeçares numa pedra ou num buraco, são acidentes que,como todos outros se poderão considerar azares ou considerar acontecimentos normais ou até favoráveis e instrutivos, enchendo o armazem da experiência. Uma criança passa por milhares dessas experiências, umas vezes chora, outras ri, outras fica indiferente e continua a tentar, a experimentar, sem temer o belzebu.
A maioria dos homens e das mulheres temem o belzebu, não acreditam que as coincidências e os acasos podem acertar em nós. E que jamais acontecem quando os procuramos com sofreguidão, esquecendo tudo o resto que está ali ao lado.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Reservas no tempo e na alma

Quando alguem que nos é querido sai da sala e se despede, fica. Já sentiram isso?
Quando alguem que nós apreciamos nos dá o último beijo e embarca para a viagem, fica. Não fica ?
Quando alguem que amamos, nos diz adeus e vai, fica. É mentira?
Quando alguem que gostamos de ver ao pé de nós, nos abandona, se despede, embarca, nos dá o último beijo e vai, deixa ficar a saudade a fermentar.
E além da saudade que começa a nascer, fica tambem o extracto etereo e sublime dos momentos que passámos juntos,das alegrias que partilhamos e dos risos que partilhámos.
E que a nossa alma acumula.

sábado, 5 de dezembro de 2009

CRIANÇA DISSE GRANDES VERDADES. A NÃO PERDER

Vejam e oiçam,por favôr !

video

Citações minhas

Entre as que já referi noutras mensagens aqui vai mais uma para enriquecer as bibliotecas dos 420 visitantes deste blogue:
- Citações são alguns dos cajados oportunos do pensamento dum escritor.

A esplendorosa invasão

Vieram .Ontem foi dia de netos,todos os netos machos,masculinos,homens dentro de poucos anos ou seja dentro de segundos à escala do tempo infinito.Que isto de ter netos homens, machos, masculinos, não é para todos nem para qualquer um,o que eu quero dizer é que não me contenho nem me abstenho do meu orgulho de homem,de macho , masculino, et cetera e tal,não faz mal a ninguém sermos orgulhosos do que aparece neste mundo e no outro mercê da nossa contribuição,façam o favor de não confundir isto com um imposto,foi um desimposto,palavra bela quando se refere aos senhores nossos netos e os filhos que não fiquem invejosos lembrem-se - ou não se lembram ? - que tambeém tiveram a sua quota parte de desimposto para a feitura doas netos.Gosto muito da palavra feitura aobretudo(no inverno)quando me refiro aos netos porque à feitura dos filhos chamava-se dantes outra coisa,já me esqueci como se chamava,sempre quero ver se a minha esposa se lembra,tem uma memória prodigiosa para estas coisas.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Holofrasese outras frioleiras que eu acho interessantes

As holofrases são as amálgamas de palavras ou de frases.Com Oma criança a pedir água à mãe diz mamágua ! Ou os americanos quando p.ex. dizem "I'mgonabe".Pois fiquem sabendo que há 300 a 400.ooo anos o homem começava a falar por holofrases em que os sons se assemelhavam em parte e quase sempre com o objectoque referiam. Nas cavernas mais calmas esboçavam-se as primeiras conversas, quase tudo o que os humanos do paleolítico diziam, expressava-se e relacionava-se, numa ou duas holofrases, com a fome, a caça ou a guerra.
Só há 30 a 40.ooo anos se iniciaram as linguagens ligadas e articuladas com cada vez mais diversos aspectos da vida, diferentes .
Não sei como se obtiveram estes números.Mas o invento das holofrases perdurou e tem-se intensificado neste século.Refinaram-se nas mensagens enviadas aos milhões pelos telemoveis.Mas as cartas de amôr estão perdendo a graça, começam a não ser ridículas...

Entrando um pouco na economia

O que importamos ?
Todos os dias a nossa dívida externa aumenta uns 6o ou 7o milhões de euros.Metade,mais ou menos de endividamento do Estado,outra metade,mais ou menos de dívida contraida no estrangeiro pelos bancos portugueses.Um grande fatia desta metade, se não quase tudo, para pagar importações.
Quando fizerem as vossas compras no supermercado, ao mesmo tempo que escolhem o que desejem adquirir vão reparando noutros produtos expostos para venda. Verificarão que importamos desde pão até cuecas, desde compotas até pastas dentríficas. O mais provavel é que metade dos produtos observados sejam importados de muitos países.
Importamos pão de Espanha , de França.Vinhos dos Estados Unidos,da Escócia,da França,da Alemanha,da Austrália e até da Nova Zelandia,imaginem! Compotas,doces e chocolates de diversos paises e até importamos arroz da China. Atentem nisto, quando importamos um produto que pode ser útil para nos alimentarmos, nos vestirmos ou nos protegermos de doenças, tambem importamos toda a inutilidade que acompanha esses produtos e que depois é pouco mais que lixo.Se importamos um vinho também importamos a garrafa,o rótulo e a rolha - que depois vão para o dito lixo.
Ora bem,pergunto agora,não podemos produzir quase tudo o que importamos ? Exceptuando o petróleo, poderíamos cá produzir quase tudo o resto.Portanto :
- Falta,por todo o país, uma intensíssima propaganda para que se instalem novas indústrias.
- Falta uma intensíssima propaganda em todo o país para que a partir de amanhã surjam jovens,jovens adultos e jovens da chamada terceira idade com decisão,criatividade e apoios imediatos para lançar essas indústrias. E lembrem-se,o Bill Gates e o sócio começaram o seu negócio numa garagem com poucas dezenas de metros quadrados.
- Falta uma intensíssima propaganda para o consumo de produtos nacionais,referindo os que já se produzem em concorrência na qualidade e preço com os semelhantes que importamos .
- Falta uma intensíssima propaganda sobre os incentivos e apoios que são concedidos pelo Estado e das autarquias ,diminuindo quanto possivel a burocracia.Há uma autarquia que vende,na sua zona industrial,terreno a um centimo de euro por metro quadrado.
- Com tantos cursos de formação faltam cursos de formação e incentivo para essas novas indústrias a lançar em todas as autarquias.
Falta vontade.Por falta de informação.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Ver Veneza

Há quem vai a Veneza para ver Veneza. Há quem vá a Veneza e só veja águas sujas,águas fétidas, gente pouco educada, cagadelas de pombos onde põe os pés. Há quem vá a Veneza e se esqueça de almoçar.

Todos os dias aprendemos

Aprendi aos 11 anos que significa o pi, esse número.Chamaram-lhe até irracional, nunca compreendi bem porquê - que chamem irracionais a alguns animais,uteis ou inuteis, compreendo.Mas a um número, chamar irracional porque se pode escrever 3,141t6...etc.,isso foi sempre um grande mistério para mim,uma designação inventada apressadamente,que não me parece ter nada a ver com a razão ou o raciocínio.
Mas hoje venho falar-vos doutro número,chamado por alguns a proporção divina,mais vulgarmente conhecido por phi (lê-se fi), 1,618 que é a relação entre,pasmem* :
- O número de machos e femeas das abelhas duma colmeia.
- As superfícies da base e das faces laterais do partenon.Estão dentro dos chamados rectangulos de ouro,como os gregos chamavam aos rectangulos em que era essa a relação entre o comprimento e a largura.
- Nas piramedes egípcias, entre as superfícies de cada pedra e a que está por cima.
A proporção divina foi detectada entre muitas medições no corpo humano e tem sido usada em inúmeras aplicações p.ex. nos cartões de crédito !
* soube do phi por um email dum meu ex-camarada do colégio militar

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

quem serás tú ?

Quem serás tu que lês este meu blogue ,serás Redonda,quadrado,heterossexual,malandro,corrupta,leal
Abrupta,medonho,de pedra ou sensual ?
Vives na vida.na água,no vento
Trazes o ar da serra,os gemidos das tuas dores
A brisa que passou naquele lago
A chama duma saudade que é tormento
O riso da criança que já foste
A esperança que paira no meu pensamento ?

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Discussão

Na discussão de qualquer assunto,ideia ou proposta devem participar um moderador e,no máximo,oito indivíduos. Alem disto, o tempo deve ser limitado ao máximo de uma hora,deverá discutir-se um tema de cada vez e todos os participantes deverão contribuir para a obtenção da solução.As técnicas de discussão de grupo,há umas dezenas de anos bem defenidas pela experiência de muita gente sensata,assim o aconselham.
Quando o número de participantes é maior,quando o tempo de discussão se amplia sem intervalos para café ou simplesmente para descanso,quando são abordados diversos assuntos na mesma hora de discussão, os resultados são sempre os mesmos: tomam-se decisões sem ouvir alguns dos participantes,os mais tímidos não usam da palavra,a demagogia impera com frequência logo que o cansaço atinge os mais lúcidos. Por isso é pura fantasia que um parlamento com 23o deputados,como o nosso, possa discutir uma lei,analisar uma ideia ou uma proposta. A solução encontrada é a de constituir comissões com poucos participantes, o que nem sempre vemos suceder com tudo o que vemos e ouvimos discutir no nosso parlamento.Quando se pretende aprovar uma lei sem a discutir com seriedade, vai essa lei apenas ao parlamento. Assim o temos observado nos últimos 34 anos.
E o grande número de participantes é um factor que ajuda sempre os que usam dos costumados e conhecidos truques . Estes com muito mais facilidade são denunciados pelo moderador duma reunião com oito ou menos participantes.Com mais,é a algazarra do costume e, o que é bem pior,quase sempre com más conclusões.

domingo, 29 de novembro de 2009

Entrevista de A.Barreto por M.J.Avilez

Vale o esforço ler a entrevista de A.Barreto,hoje no I. Aqui vão algumas citações dessa entrevista que julgo bom recordar.
-"Os poderes só receiam uma coisa : a opinião dos homens livres".
-" A opinião pública pode ser a grande parteira da democracia".
-"Aquilo que transmite opinião faz homens e mulheres mais livres"
-"Habituamo-nos a viver da memória, o que cria frustração".
-"Convinha que o parlamento ouvisse mais o presidente da republica".
Mentes lúcidas dizem-nos destas coisas.O diagnóstico apresentado nesta entrevista não será lido e digerido pelo poderes ?

sábado, 28 de novembro de 2009

Genros e "capitalismo karaoke"

Tambem já fui genro.Agora tenho um ou talvez mais dois.Isso do talvez é assunto de família,não tendes nada com isso !Mas falo do genro, dessa espécie abominavel de homem que invade o nosso território,rapta as nossas filhas mais formosas que as célebres sabinas(ainda se lembram? Dantes aprendiamos estas futilidades nas escolas), rapa as nossas panelas
e por vezes até nos fazem o favor de desaparecer.Não é o caso do genro que temos e que nos tem tratado de forma decente - esperamos que no futuro nos trate bem melhor - e que até nos deixou aqui em casa um belo livro que recomendo a todos os que têm o hábito celestial da leitura :"Capitalismo karaoke".
O livro é um hino à criatividade ,uma tentativa de reduzir e anular o defeito da imitação.Se não o podem comprar,peçam-no na biblioteca mais próxima,que tambem serve para consultar um pouco do que desconhecemos.
Falei dos tais especímenes abomináveis para vos interessar no resto que plantei nesta mensagem de hoje.Falar mal de alguem é um dos processos de obrigar a ler o que vem a seguir.É uma grande sacanice, mas os sacanas por vezes, têm alguma utilidade.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Expressões algarvias

Nós os algarvios e as algarvias usamos algumas frases que fazem sorrir os mais sisudos que nos visitam.Recordemos :
-- Dêxa-me da mão.
-- Jà agora logo amanhã.
-- Dóem-me os pêtos.
-- Vou-me à da minha mãe
-- Atão tu na vés ?
-- Má qué isto mã ?
-- Vou-me jogar na água !
-- Má tão na vens ?
Venham ao Algarve se querem ouvir mais.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Outro imposto-o último que proponho,garanto, sem hesitar.

Afinal o prócere da nossa praça que ontem referi (v/bloge de ontem) já hesita(segundo refere o I de hoje)quanto ao aumento de impostos.Atitudes como esta tanto abundam neste "jardim à beira mar plantado" com o deserto nas costas,que será oportuno e útil um outro imposto,mais dificil de cobrar,menos proveitoso para os cofres do Estado que o imposto sobre a palavra mas enfim,fiemo-nos na honestidade de 99% dos portugueses.Acabado este prólogo preparatório,vamos ao imposto.
Proponho que se lance um imposto sobre as hesitações,acompanhado duma taxa sobre as dúvidas e duma alcavala sobre as reticências.Cada declaração que não seja concreta e posteriormente ornada por uma hesição,dúvida ou reticência, zás, um imposto a pagar no prazo de vinte e quatro horas no montante de um euro e a ser entregue no barraco mais próximo gerido por um funcionário do Estado e com a competente burocracia de formulário com sete cópias e assinada pelo contribuinte.
Ficam isentos:
- as crianças com menos de cinco anos (estas coisas de impostos e quejandos deverão ser ensinadas na pre-primária,"de pequenino é que se torce o pepino" !)
- os casais com mais de 25 anos de matrimónio e mais de um filho( prémio devido à não hesitação,poucas dúvidas em 25 anos e ponderação nas reticências).
- os que pensam mais de quatro horas por dia(trata-se de uma isenção sem redução significativa no montante a cobrar e ao mesmo tempo constitui uma propaganda barata para um produto raro e valioso, quase raro,será que me fiz compreender ?).
Pagarão em duplicado:
- Os heterosexuais(porque raramente hesitam).
- Os deputados (porque hesitam muito,prejudicando a nossa nação valente.Esta duplicação terá efeitos imediatos,apesar dos protestos dos visados cujos protestos não serão aceites porque eles tambem petencem ao nosso nobre povo)
Pagará em sextuplicado:
- O senhor PR.*
*presidente dos republicanos

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Proposta para o novo imposto

Uma acreditado prócere da nossa praça,gerente do nosso(?)banco de Portugal,afirmou que o governo terá dentro em breve de lançar novos impostos.Não me atrevo a duvidar,esse senhor nunca se engana,quem sou eu para contrariar tão douta opinião.Por isso sinto-me no dever de contribuir com uma sugestão, talvez útil,talvez exequível,embora pouco douta.Resume-se a apresentar a idéia de um novo imposto.O imposto sobre a palavra:
1- Cada palavra dita pagará o imposto de um centimo de euro, no prazo máximo de um dia.
2- Como somos todos cidadãos honestos,amantes da pátria e dos superiores interesses da nação valente e de nobre pôvo que é Portugal assim cumpriremos todos e entregaremos diariamente o imposto a pagar na barraca mais próxima, montada em regra para o devido efeito.Cem palavras ditas ou proferidas num dia, zás !,um euro de imposto,IVA incluido.
3- Estão isentos
- as crianças menores de 2 anos.
- os surdos ,os mudos e todos os dominados pelas sogras.
- os estrangeiros,depos que voltem aos seus paises.
- as crianças maiores de 90 anos
- os que estão a dormir, descansados.Logo que acordam,zás!
4- Pagam a dobrar (elucidando: 0,02e por palavra)
- os deputados
- os membros vivos do governo, assessores e todos os nomeados "a dedo".(Assim darão bastas provas de isenção,patriotismo e boas intenções).
- os heterosexuais(gozam a dobrar,é justo que paguem o dobro).
- as sogras dominadoras dos genros,dado que estes são todos ingénuos.
- os que já pagam algum imposto directo.(Razão: se pagam um imposto têm rendimentos suficientes para pagar outro).
Pagarão um imposto diário de 1 euro por dia todos os que estiverem calados.

As previsões apontam para uma colecta diária,com este imposto,segundo os cálculos do INISAP(instituto nacional do imposto sobre a palavra) de 2 milhões de euros,cálculo por baixo, visto que se calcula o imposto para 20 palavras/dia/português.
É um sacrifício leve e sem trabalho.

Estão quási conseguindo

Nova técnica publicitária,num país que visitamos todos os dias:
1 - Fundamentando-se numa notícia aparecida num país longínquo, lançar um alarme
2 - Um ministro, se possivel uma angélica ministra,todos os dias, lança o alarme, em tudo quanto o pode emitir para chegar às casas dos cidadãos.
3 - Insistindo na gravidade da situação, pede-se calma - a melhor forma dos ditos cidadãos perderem a calma.
4 - Aponta-se o facto insólito de que morrem todos os dias alguns cidadãos desse país. Alguns, estranhamente até morrem duma doença.
5 - A empresa que contratou a agência consegue um contrato bilionário celebrado com o país que visitamos quási todos os dias. Agora quasi,pelo sim pelo não, será melhor não sair de casa todos os dias porque a mesma angélica ministra continua angelicamente lançando o alarme.
6 - A mesma empresa consegue incluir mais produtos no contrato, passando este a trilionário. Distribui uns quantos trilionésimos dos lucros pelos alarmistas.
7 - Entretanto e de forma continuamente estranha continuam a morrer todos os dias e de forma estranhamente natural, alguns cidadãos desse país que agora passarei a visitar muito menos até que o alarme acabe, lá para os fins do próximo inverno.
8 - Como coisa mais natural deste mundo, as estatísticas confirmam o alarme, referindo
que, sim senhor, nesse país que continuarei cautelosamente a visitar, confirmam-se as estatítica oficiais : morrem todos os dias, alguns cidadãos desse país.

Talvez contrariados mas morrem mesmo,catano!

O 25 de Novembro

Para mim o 25/11/1975 foi uma data importantíssima. Também porque nesse dia livrámo-nos de quem nos queria tirar a liberdade. Mas principalmente porque nesse dia deixei de fumar definitivamente .Não se ofendam,eu explico o principalmente.É que se eu continuasse a fumar, na tradição dos homens tabagistas da família já estaria há 20 ou 30 anos na melhor para onde dizem que vamos quando morremos.Eu fumava o maço de cigarros que comprava todos os dias,fumava os cigarros que cravava à minha esposa,aos meus amigos fumadores,aspirava as delícias das cigarrilhas depois do almoço e à tardinha, na tertúlia, depois do trabalh0,no café. Portanto já não poderia hoje achar esta data importantíssima principalmente por ter liquidado esse vício.

Um galo de horas certas

Outro dia,já passa um minuto da meia noite. Isto que nos ensinaram em pequenos, que o dia começa depois da meia noite é mais uma daquelas tretas recheadas de paradoxos e revestidas de resignação democrática.Convenceram-.nos que o dia começa à noite e,coisa ainda mais estúpida,acaba de noite um segundo antes do dia seguinte, sem vermos que é dia ! Os pássaros,esses é que sabem quando começa o dia,os galos de pássaros pouco têm e por isso nem sempre acertam.

Viveu em Luanda,aqui há uns cinquenta anos, um galo que, com o seu relógio sempre certinho,era dos que cantava todos os dias à mesma hora,às seis da manhã. Assim aprendera, não seguia a regra dos muitos colegas que cantavam sempre, quando o sol despontava.Tramou-se. Um almirante que vivia na vizinhança,chefe máximo da marinha de Angola,não respeitando nem apreciando os seus trinados matutinos, condenou-.o à pena capital .O galo,coitado,acabou os seus dias por ser muito certinho.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Como sonho

Ao fim destes anos de vida - muitos para os outros, poucos para mim - ainda não sei se estarei a sonhar,se estarei verdadeiramente acordado.Dizem que se sonha a preto e branco.Não sei,nunca nos sonhos me lembro de reparar nisso.Vocês lembram-se ? Aliás,se vejo tudo a branco e preto,estão lá todas as cores misturadas no branco.Aliás, nos sonhos não usamos os olhos para ver o que se passa,o que sucede.Mas "vemos" no sonho , as casas, os comboios, as árvores,os pássaros e os intrometidos que se lembram de aparecer e até os que dias antes desejámos que aparecessem.Até surgem,por vezes ,alguns ilustres desconhecidos.Felizmente não tenho sonhos dramáticos,nem cataclismáticos nem pornográficos.Uns avisos metafóricos,sim,desses alguns recordo.E é curioso,nunca sonhei contigo !


Esta mania de aprender

Sabem o que é um pensamento,neurulogicamente traduzido?"é uma rede neuronal efémera".E a inteligência? "*é a interacção de neuronios corticais"* .Nada como estudar estas coisas para que as sinapses não desapareçam dos nossos cérebros. * Scott Small

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Mais Sócrates(o de 470 a 3399 A.C.)

Tres citações de Sócrates
-"Todo o meu saber consiste em saber que nada sei.O início da sabedoria é a admissão da própria ignorância"
- "Em todo o caso,casai-vos; se vos couber em sorte uma boa esposa,sereis felizes; se vos calhar uma má, tornar-vos-eis filósofo,o que é excelente para os homens"
-"A ociosidade é que envelhece,não o trabalho"
Nem a ocupação,acrescento eu.

a nova golpada

Como eu vos disse há uns dias,tudo não passa dum golpe.É a cabecinha pensadora a orientar,a dirigir,a camuflar.A criar suspeições sobre o chefe,suspeições criadas para servirem de cortina de fumo à realidade indigesta.E não há comentador político ou amigo,nem jornalista que veja a golpada em que estamos metidos.Vão ver,dentro dalguns dias estão todos inocentes,espera-se o reconhecimento público da perseguição movida numa tentativa de assassinato politico,bla,bla,blabla.Talvez até consigam uma indemnização choruda.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Um senhor neto

Tenho um senhor neto que me manda emails muito resumidos."Olá avô".Ele não me pediu segredo mas eu revelo todo o conteudo do email que me enviou,para que vejam que cabecinha está ali a formar-se. Conseguiu resumir em duas palavras simples o que lhe vai na alma em rela ção a este avô.Com o "olá" chamou-me à pedra,até parece que o esqueci,que me deixei dormir como se estivesse em frente da televisão vendo uma telenovela interesantíssima e que os patrões daquela emissora nos apresentam para que,adormecendo,nos despertem com os gritos dos quatro ou cinco vezes dez minutos de anúncios que nos oferecem interrompendo as ditas e fantásticas telenovelas; com o "avô" veio lembrar-me o meu lugar na família e chamar-me à pedra pelos esquecimentos que tenho relativamente aos deveres do pai do seu pai.Vejam lá se não é bom ter um neto !

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

São lindas estas coisas que nos vêm à cabeça,desde as recordações dos sonhos até às lembranças do bom que já esqueci.Não é que me preocupe ou que vos queira impingir pedaços da minha história antiga,cobertores de flanela ou carros eléctricos.Não.Mentira dizer que não quero ser rico disto ou daquilo.Mentira.Quero ser rico nos meus futuros momentos presentes que se vão seguir a este,quero ser rico,milionário,digo,pentalionário dos beijos dos meus filhos, de abraços dos meus netos,de sorrisos da minha esposa,de momentos passados com amigos.Não para negócio,nem para reciclagem proveitosa ou metamorfose de maravilha . Ao mesmo tempo por fora da saudade e por dentro da aventura deixar que os sonhos continuem com a mesma clareza e sem que se realizem - perderiam a graça se se realizassem, seria o raio duma frustração perder o sonho e vê-lo transformar-se numa realidade com a preocupação do avarento,sem a beleza da fantasia e com a vida a decorrer sem problemas.Já pensaram alguma vez o que é ter uma vida sem problemas? não ter que procurar soluções,ter sempre as portas abertas(ou não ter portas),encontrar-se permanentemente com tudo resolvido?é com certeza e pelo menos,uma grandessíssima sensaboria.Pensa - o que será difícil para muitos mas tentem começar,vão ver que é agradável, que a pouco e pouco aparecerão coisas engraçadas,boas surpresas - pensa no que se transformaria a tua vida se tudo estivesse resolvido.Ao acordares de manhã já te encontravas barbeado, lavado,vestido ou lavada,maquilhada,perfumada,vestida ; não terias fome,o problema do pequeno almoço estaria resolvido ,não perderias tempo com o teu transporte,mas já encontravas resolvido o problema do que havias projectado para essa manhã.Assim de sucesso em sucesso no resto do dia. Resumindo :uma sensaboria, ou antes uma sensaboria chata tão chata como seria vivermos num mundo chato, plano sem montanhas,sem vales, sem rochas, apenas plano, direitinho,imaculado, branco,sem rugas nem rumores,sem chuva nem vento,sem gritos nem adeus, sem música dos pássaros,dos riachos correndo sobre as pedras ,dos pregões matinais,sem os gritos da vizinha ralhando com os filhos.
Sem sabores....

terça-feira, 17 de novembro de 2009

novo governo

Entretanto já começou o novo ano lectivo e continuam a importar-se mais com a avaliação dos professores e cada vez menos com os alunos; já começou a governar-nos o novo governo e continuam a importar-se mais com assuntos de lana caprona e menos com a dívida( que cresce tres milhões de euros por hora),com o desemprego. etc. etc..Quando será que isto muda ?Preparem-se,qualquer dia só poderão levantar dez euros por dia no vosso banco..

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Plano inclinado

Viram na SIC de ontem o PLANO INCLINADO ?Não percam o do próximo domingo.De borla o prof.Medina Carreira ,bem acompanhado por dois senhores(na próxima 2ªfeira digo os seus nomes) diz-nos,elucida-nos sobre a realidade,no nossopaís.Não percam porque os martelos do poder devem tentar acabar com aquele programa.

boas horas

Por vezes a rotina dos Domingos faz esquecer as boas horas dos sábados e das sextas anteriores.Tive uma sexta anterior ao sábado passado,uma sexta feira de antologia.As vinte e quatro horas desse dia ficaram comprimidas em duas horas que passei com a minha descendente caçula que é a minha professora catedrática da arte de bem viver,conviver e ser pão pão, queijo queijo e alma alma, vida vida.A sua mãe prof.directora e os seus manos prof. extraordinários todos os dias me ensinam a acreditar no futuro,sem pagar propinas,sem ter de apresentar reinvindicações, sem temer o desemprego.E estes governantes que temos nem parece que,no bom sentido,são todos filhos dumas mães.

domingo, 15 de novembro de 2009

O golpe

Uma das processos de encobrir um golpe é a tática do encobrimento,desviando as atenções do inimigo,inventando artimanhas que culpem outro ou outros,até culpando amigo que colabora no golpe e que, passada a tempestade e provada a sua inocência recebe uma bruta indemnização por danos morais.Será que é dificil entender ?

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Que democracia ?

"Tem-se dito que a democracia é a pior forma de governo salvo todas as demais formas que têm sido experimentadas de tempos em tempos", cito Churchill.
Mas atenção,a democracia nasceu na Grécia,uns séculos antes de Cristo, continuou em Roma,até se desfazer o império.Tempos de democracia e escravatura em ambos países....Daí até hoje foram sendo adoptados diversos sistemas de governo ditos democráticos e continua sendo a pior forma de governo salvo as demais,como disse Churchill. Com aspectos caricatos como p.ex. a disciplina de voto.Isto é,se és eleito e te matriculaste num partido,só poderás votar de acordo com os dirigentes desse partido.Então numa democracia o voto não deve ser secreto ?Ao povo,na sua maioria,não deve ser dada a melhor instrução para que a sua maioria (100% sabemos que é impossível,mas mais de 90% sabemos que é possível),saiba pensar o mínimo necessário para ter consciência por que vota e em quem vota ?São problemas como estes que tem as tais piores formas de governo.Então porque se foge à discussão destes e doutros pontos que minam as democracias(como p,ex. a corrupção)como o diabo foge da cruz ? Porque não se abre um debate nacional sobre a democracia ? Dantes se um professor nos apresentava um problema, tínhamos que o estudar e encontrar uma solução; a escola, basicamente servia para aprendermos a encontrar soluções, na língua,na experiência dos que nos antecederam,nas artes,na ciência.E em outros aspectos,mas envolvendo sempre saber pensar. estudar ,observar. Porquê dizer que a democracia não se discute ? Querem abrir esse debate ?

terça-feira, 10 de novembro de 2009

O estatuário

Prometi,eis uma parte maravilhosa do sermão XVII do padre António Vieira:
"Arranca o estatuário uma pedra dessas montanhas,tosca,dura,bruta,informe;e depois que desbastou o mais grosso,toma o maço e o cinzel na mão e começa a formar um homem;- primeiro membro a membro,depois feição por feição até à mais miúda; ondeia-lhe os cabelos,alisa-lhe a testa,rasga-lhe os olhos,afila-lhe o nariz,abre-lhe a boca,avulta-lhe as faces,torneia-lhe o pescoço,estende-lhe os braços,espalma-lhe as mãos,divide-lhe os dedos,lança-lhe os vestidos;aqui desprega,ali arruga,acolá recama.E fica um homem perfeito,talvez um santo que se pode pôr no altar."

"Não nasci ontem "

Ouvimos por vezes dizer "não nasci ontem" se alguem nos quer convencer que não o podemos enganar a partir de ontem ou,noutra interpretação mais inteligente,que só o poderão
enganar se tiverem apenas um dia de idade.Nunca ouvimos dizer "hoje posso ser enganado".Nem quando estão acordando um negócio,nem quando escutam um deputado,nem no dia em que se casam.Quer dizer,aferem o ontem e o hoje,pelo negócio,pela demagogia ou pelo amôr.Não ambiciono ser enganado quando tiver um dia de idade isso não quero.Façam o favor de não quererem enganar-me quando eu tiver um dia de idade.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Companheiros,camaradas,colegas,patrícios !

Se precisarem de mim,ainda poderei ajudar.Ainda : subo quatro lanços de escada,várias vezes por dia,se não o fizer não como no melhor restaurante do mundo(o da minha casa -- em minha opinião)nem durmo na cama mais confortavel do universo(no meu juizo);ando dois a quatro kilómetros por dia;começei o segundo livro; ainda falo quatro línguas;ainda jogo sofrivelmente xadrez,ainda não consigo deixar de pensar.
Se ambicionamos que o nosso país saia deste marasmo em que está,senhores no poder façam o favor, com humildade reconheçam que não são capazes de mais e convidem alguns finlandeses a que vos expliquem como se atinge o nivel de vida deles. Aceitem de imediato que 6% do PIB seja aplicado num investimento maciço à educação(investigação não incluida),que haja transparência na governação(já existe,dirão,dirão porque confundem vidro com betão), peçam o conselho de quem analisa a nossa situação económica- como o dr.Medina Carreira o tem feito inumeras vezes na televisão.
Com boa educação o nosso país terá dentro de dez a vinte anos dirigentes honestos, competentes,que escolherão os melhores assessores.Se um país,como a Finlandia, o conseguiu, depois de devastado pela guerra e pela ocupação soviética,porque não nós ?
Senhores no poder vejam como funcionam naquele país,as escolas,os tribunais,a polícia,os hospitais.Como,entre muitas outras coisas,como andam os ciclistas nas ruas.Vejam a indústria que eles têm, até exportam pianos da melhor qualidade !
E comemorem, no ano que vem, a implantação da república com um novo programa de governo depois de ouvir os filandeses que convidarem.

domingo, 8 de novembro de 2009

Juro

Juro que escrevi todo o meu livro antes de ver e ouvir o primeiro "plano inclinado" ontem ,sábado depois das 22 horas na TV1.

sábado, 7 de novembro de 2009

Quem é capaz de investigar o futuro »

Quando deixaremos,abandonaremos o passado e começaremos a investigar o futuro ? Ante -ontem o meu neto Frederico enviou-me um "email" : "avô estou no colégio!". Com oito anos e como é natural, não se preocupa com o passado.Mas,como podem constatar pelo "email " que me enviou, já está a investigar o futuro !

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O interruptor

Vou escrever sobre o interruptor que vos referi em 29/10/2009 . É uma peça de que pouco falam e esvrevem os senhores jornalistas,os senhores Nobeis ou os senhores pais da pátria.É uma peça que actua quase sempre fora do nosso querer.Que nos põe a dormir num milésimo de segundo,nos faz tomar a decisão menos sensata quando menos esperávamos ou a mais adequada sem darmos por isso.É o interruptor que nos desperta pelas manhãs; que nos faz decidir , entre vinte livros iguais na prateleira da livraria aquele que vamos comprar ; que nos faz optar pelo plano que seguiremos no dia corrente ; a qual dos filhos daremos a nossa preferência,embora lutemos e tentemos substiruir o interruptor . E que é o misterioso ser que nos acende a chispa do primeiro amôr.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

album de fotos

Vendo a minha foto,ainda de pera e bigode,as senhoras e os senhores que encontrarem este meu blog, decerto dirão "este gajo nunca mais se endireita ...".Quando retocarem de forma decente a minha fotografia concedendo-me um ar dum senhor austero aparentando mais(+) uns 2o ou 3o anos do que os que já passei na vida, então substituirei a foto actual.
A propósito de fotos actuais e antigas aconselho-vos a organizar um album com as vossas imagens,desde que nasceram até à actualidade.Umas 20 a 30 fotos colocando-as por ordem desde a mais recente até àquela em que pela primeira vez a vossa mãe vos pegou nos braços ou,com poucos dias de idade, em pelo,de barriga para baixo posando em cima da otomana.Organizado o album,folheem-no sempre que sentirem uma má disposição invadir-vos ou perderem a razão por qualquer motivo. Vão ver,garanto-vos que ficam bem dispostos.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

tempo das castanhas

Também o Novembro tem coisas boas. Aparecem as boas das castanhas.Lembro-me,quando vinha da escola do doutor Buisel, passar quase todos os dias pela velhota que, à esquina da rua da Ribeira,em Portimão, vendia castanhas assadas.O meu pai comprava-lhe quase todos os dias cinco tostões delas num grande pacote feito com uma folha do Século ou doutro jornal. A senhora assava as castanhas num pote de barro com buracos no fundo, colocado sobre um fogareiro a carvão, daqueles que hoje ainda vemos, no verão, a assar sardinhas. Quando eu, naquele tempo, juntava cinco tostões , investia-os sempre nas castanhas.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Relógio ou somente meia algema ?

Na frente dum relógio, desde pequenino, ensinaram-me a "ver as horas". Nunca as consegui ver,vocês conseguiram? Como se pode ver o que já passou,já voou, já desapareceu, já não regressará? Portanto : o relógio embora digam o contrário é um objecto inútil. Oiço muitas pessoas dizer, felizes e aliviadas : "hoje não ligo ao relógio".Temos cada uma !Um instrumento que não serve para nada e que provoca um sacrifício ! Uma das provas disso mais concretas é que um relógio cada vez é mais barato : encontram-se relógios que não se adiantam nem atrasam mais que um segundo ao mês e que se compram por cinco ou seis euros.E para que servem os relógios? para ver o tempo presente ou o futuro? Não! Servem para trazer meia algema num pulso, para verificarmos o tempo que já passou, o que não interessa absolutamente para nada. A meia algema serve sim para lembrar que é bom não esquecer que se deve lutar para que outra meia algema não nos tire a liberdade. Não serve para conhecermos o tempo que vai passar.Nem o tempo meteorológico , mas sim o tempo passado. Seria bem mais interessante termos um instrumento para conhecermos o tempo do sono e o tempo dos sonhos .

domingo, 1 de novembro de 2009

Os Novembros

A minha vida passou por mais um Outubro. O Novembro, não sei porquê sempre me assustou, sempre entrei nele desconfiado. Não percebo porquê, não se trata senão de mais um molhinho de trinta dias a riscar no calendário, com a mesmas virtudes dos outros colegas meses, com quatro sábados e cinco domingos, começando como os outros a 1 e acabando,como outros tres a 3o. Nenhum meu familiar ou meu amigo morreu num Novembro, não tive qualquer acidente nesse mês. Mas, não sei porquê, embirro solenemente com os Novembros ! É uma embirração, uma mania como muitas outras sem explicação. Como dizia uma irmã minha, "gosto mais desse neto que dos outros,pronto ! Não sei explicar."

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

O começo daquele sermão

"Arranca o estatuário uma pedra dessas montanhas,tosca,dura,bruta,informe...".Dantes, no liceu os professores de portugues sempre referiam este sermão do padre António Vieira,lembram-se? Alguns referiam o sermão como amostra da língua protuguesa e analisavam-lhe as frases,algumas orações.Outros escalpelizavam-lhe um pouco a semântica,os recursos de estilo.Raros os que explicavam a lição para a vida que o sermão contem na sua metáfora principal..Que duma bruta e simples pedra se pode fazer um santo.E há muito mais. Um dia eu não resistirei a transcrever um pouco mais desse sermão.Mas antes,procurem,encontrem-no!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Luz !

Agora que tenho um dentista na família(e portanto borlas c'um pau),agora que tenho uma cozinha decente com 5o máquinas e 5oo utensílios para pedir à nossa empregada doméstica qualquer pitéu que nos apeteça,agora que tenho um carro que me obedece imperturbavel levando-me onde me apetece, agora que tenho uma casa que fala connosco e plantas que me sorriem quando lhes mato a sede,,agora que já tivemos tres filhas e um filho,plantámos muitas árvores,escrevi um livro e muitas cartas de amôr ridículas ,("só não seriam ridículas se não fossem cartas de amor" dizia o Fernando Pessoa,que dever-se-ia chamar Fernando Gente Grande),agora que tenho tudo,tudo o que os Magalhães do nosso país ensinam às crianças a ambicionar,só o que sinto que ainda não tenho é a luz.
Se não entenderam,ainda estão mais longe do que eu.Procurem o interruptor.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Volta,volta fantasia !

Espicaço-me,tem que ser um espicaçar mais profundo ,tenho de atingir um nível decente de criatividade, deitar cá para fora mais qualquer assunto para aquém do corriqueiro e para além da pasmaceira presente à minha volta,o meu pensamento terá de ter uma cara bonita, um ar agradável, borrifado com umas gotas de poesia misturadas com resquícios bons das prosas que já li e o sopro morno deste sueste, que os mouros trouxeram para o Algarve e não conseguiram levar quando regressaram a África.

O meu harem

"Eu convivo com o meu harém de dicionários..."de Gabi Beltran

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Que sinais me dás ?

Que sinais me dás,minha alma,como abres o meu tempo e espreitas lá para dentro como se faz a um côco quando se lhe dá uma catanada?.Se ainda tens pouca experiência no assunto o
mais provavel será que a catanada falhe o objectivo,o tempo e o côco ficam na mesma, mas podes ficar sem um dedo ou,no caso do tempo que queres abrir e espreitar lá para dentro, quem perderá qualquer coisa é a alma ,coisa não, que a alma não tem coisa nenhuma,pode perder um fio de amôr,um grito de dor ou de espanto, ou um sopro de alegria. Mas se já tens prática e a catanada acerta e olhas p'ra dentro do tempo,tiras um pouco dele,um pouco na dúvida tentas prová-lo, mas ele ,que nunca esperapor ti,evapora.se, livra-se de ti e vai,ele,abrir o côco,ou seja, a cabeça doutro.

domingo, 25 de outubro de 2009

Só para homens-que as senhoras não sofrem destas coisas.

Ainda sofro os efeitos duma guerra absurda - a guerra dos tres dias, que jamais eesquecerei - entre o meu intestino grosso e os inuteis e inaproveitaveis restos de materia orgânica que o intestino delgado entregou ao grosso, na melhor das intenções, não suspeitando que este - o grosso - concentrasse toda a forretice acumulada,oferecida por aquele - o delgado - e não permitisse a entrega para a liberdade dos citados restos .Esta a grande desculpa, tão grande que se reflecte nos cuidados apurados para que aquela guerra não se repita,permitindo que se restableça a paz nas minhas entranhas e a possivel imaginação no orgão criativo.Amanhã ou talvez ainda hoje tentarei ser menos corriqueiro e passar a um tema mais de acordo com a minha condição.

sábado, 24 de outubro de 2009

Uma enorme entrevista

Que esplendida entrevista a de ontem de António Lobo Antunes !Que palavras, que sinceridade , que bondade, que serenidade reflectidas nas respostas daquele escritor. Parecia que as suas palavras saltavam do televisor e se gravavam no ar.Que diferença com outro senhor,(por acaso, não terá sido por acaso prémio Nobel da literatura ?) não sei ,deixei de me interessar, passei a esquecer num segundo tudo o que oiço que contenha raiva contumaz, rancor pessoal e particular, ataques encarniçados e repetidos sem provocação. Podemos ou não gostar do que escreve Lobo Antunes, mas quando fala não acredito que alguem não goste do que ele diz.Pena que a TV1 não edite para venda entrevistas como esta.

domingo, 18 de outubro de 2009

as páginas da vida

Não as escrevemos.Apenas as revemos,de vez em quando.Temos páginas em branco - confessemos que a maior parte - temos páginas negras,páginas amareladas pelo tempo,páginas brilhantes e páginas comprometedoras.Arrependemo-nos das páginas em branco,com a raiva de quem desperdiça algo de muito valor ou antes, de valor incalculavel,cada página em branco é uma página onde, nesse dia, nada escrevemos, 24 horas sem uma palavra amiga,sem um gesto de ajuda,sem sequer um sorriso para quem nos olha,24 horas que não recordamos porque nada ficou gravado no livro da nossa vida,24 horas dum nada que apenas se transforma em remorso por nada ter escrito nelas.As páginas negras são as que estão escritas debaixo do negro da página,que nunca poderemos reler porque fomos nós que as pintamos de negro para que à força não mais as conseguíssemos ler.Mas o negro lá está fazendo-nos lembrar aquele segundo,minuto ou hora em que a maldade nos venceu.As páginas amareladas pelo tempo são as ditadas pela tristeza,a côr da tinta já quase desapareceu,a vida vai-nos ensinando a folheá-las cada vez menos,mas a conservar visivel o que está lá escrito,para que a saudade por vezes ainda tenha o direito de as visitar.As páginas comprometedoras,essas deixo que o tempo as vá comendo .As páginas restantes, vou-as conservando quanto a memória o permita.

sábado, 17 de outubro de 2009

será ?

Será que é tarde ?qual quê nunca é tarde seja para o que for, seja para "colher umas coisas por aí"(não o disse a senhora Patrícia Reis ?),seja para deixar uma rosa na dona planta que a possui,para deixares o teu cavalo à solta, para afrouxares as rédeas dos teus compromissos sociais, para continuares a pagar a dívida que tens,perdoando aos teus credores (que isso de perdoar aos devedores é um conselho que tem mais de dois mil anos,nem sabem a cara com que fica o nosso credor quando lhe dizemos que lhe perdoamos a nossa dívida !). Será que é tarde para ouvir o mar,sentir o luar na pele,pagar o beijo que não me deste (porque a tua timidez o impediu) ? será que é tarde para tirar os cursos de aprender a escutar o vento, o de ver as estrelas e perceber as nuvens e a escuridão.Não é tarde,é cedo para percebermos porque estamos aqui. Pra isso não precisamos nem de mordomos,nem de guias,nem de jardineiros.

nunca é tarde

nunca é tarde para fazermos uma data de coisas.P.ex,,para começar com uma dieta.Começei muitas vezes e jamais consegui .A razão principal foi que, até há 3 dias, as dietas que me aconselhavam os ilustres nutricionistas sempre me faziam passar fome. E isto não,se um dia a minha reforma nos leve a passar fome,habituar-me-ei. Mas com dietas,não.Porem a que a minha filha Clarissa adoptou no Chile,tendo em 3 meses perdido um rôr de kilos,sem passar fome e ao desembarcar do avião embasbacar todos os que a esperavam, por verem chegar depois de 2o horas de viagem ,aeroportos,etc.,verem chegar uma menina elegante e linda aparentando pelo menos menos 2o anos. Como não tenho passado fome nestes tres dias dietando dessa forma ,espero que daqui a tres meses piropos semelhantes aos que a minha filha recebeu.
Mas há mais a dizer sobre o nunca é tarde.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

será sonho será fantasia será o tempo a fazer das suas dentro de mim a remecher-me as entranhas agitando os demónios do passado, do meu passado que o passado dos outros não tenho o direito de agitar. Atiro para as asas do meu anjo da guarda as farpas da minha impaciência, é uma grande injustiça minha,ele que me tem ajudado em tantos momentos tão dificeis, que me tem proporcionado momentos tão bons, sigo investigando,ou antes,para ser honesto só agora estou começando a investigar qual o meu antepassado,amigo ou amiga ou familiar que me alcança com os seus gestos e o seu poder, porque quero dar-lhe um grande beijo de agrado ,aos verdadeiros amigos a melhor resposta é um beijo.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

ainda cá estamos

com a minha esposa que há dias,não contente por ser dia de anos,deu um tombo na rua.Como é una mulher de fibra,é uma castelhana q.b., a mãe viveu até ao último dia da sua vida,com 85 anos, ainda na galhofa com os filhos e os netos até às 2,3 ou 4 da madrugada.O marido e senhor meu sogro, um roble castelhano que se finou aos 94, às 10 ,11 horas dizia a frase sacramental "uno que se va a la cama".Como ia dizendo , a mulher de fibra que é a senhora minha esposa com um dedo do pé direito partido, dores muma costela e na cara,não quiz desistir da viagem a Paris onde passamos quase três dias percorrendo os trajectos que mais apreciamos quando lá estamos.Fomos e regressámos na "easy jet".Eu gosto muito de viajar de avião quando chego ao meu destino.Em Angola fiz dezenas de viagens nos "dakotas" e em alguns monomotores dos clubes de aviação.Nessas gostava de andar no meio das nuvens,nestes jactos,como já disse,gosto muito de andar depois de chegar.Já fui passado a ferro por um camião com atrelado que me destruiu e atirou para a sucata o melhor carro que já tive e que não posso voltar a ter, salvo se os meus vinte livros,a(um que já escrevi e dezanove que escreverei no futuro)constituirem um sucesso de vendas,depois de tradizidos em 47 línguas.Por ser o melhor carro que já tive é que me safei apenas com dois buracos na cabeça,felizmente já tapados, a natureza dá-nos um corpo realmente muito resistente.Todavia,se,na proporção devida, um Boeing 747 passasse a ferro o Airbus 320 da "easyjet" em que viajamos para Paris, os buracos nos nossos corpos seriam muito mais numerosos e dificilmente os corpos, que nos calharam na rifa desta vida,resistiriam.Mas a grande mulher que é a minha esposa com o dedo partido ,uma costela talvez partida e as dores na cara, não desistiu nas andanças(e até dançámos,um bocadinho) por Paris.Como não desistiu ainda do marido, depois de o aturar quase 57 anos.(cá p'ra mim foram poucos mais que vinte, o que é dificil de dizer quando a mais velha das filhas já vai na casa dos cinquenta.Mas quem sabe o que é isso do tempo da vida? eu sei,mas não conto que este blogue já vai longo.Talvez,se estiverem interessados, eu conte noutro dia.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

pontapé no xadrez

por fim decildi dar um pontapé no xadrêz.Escrever e corrigir o que estou escrevendo dá-me muito mais prazer,fico mais satisfeito.Ontem fiz dias,como eu agora digo nos dias em que me sucede algo que muito me agrade.E ontem chegou a nossa menina que vive no Chile e que veio do Chile.Ganhei ,sem suor nem canseira,mais um dia.E depois de despedir os outros manos e a família que veio visitar a nossa menina que veio do Chile, um clarão iluminou o meu pensamento e fez-me ver que o tempo do xadrêz passou.Poderei ainda jogar uma partida num ou noutro dia a pedido dum amigo,nada mais. As novas ideias para escrever ou relatar, que me alfluem ao cerebro, são mais importantes,mais importantes para mim porque brilham mais, porque me agradam mais, porque estou estou cada vez mais as buscando,as procurando, ansiando que cheguem com quase tanto gosto como a chegada da nossa menina que veio do Chile.
Estes dias não constam nos calendários,se vocês me entendem, sabem onde ficam gravados.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

o universo da palavra

Combinando as palavras que existem já se escreveram milhões de livros.Com uma probabilidade infinitesimal pegando 8o a 1oo mil palavras dum dicionário ,poder-se-ia escrever un romance.A probabilidade seria um infinitésimo.Mas dentro do tempo tudo poderá acontecer.Leiam a frase que me saíu do dicionario escolhendo palavras ao acaso:
"A copeira foi esquerdar propugnando a hospitalização e o vice gerente dacolá avesso usou o tampão na cubicagem."
Se esta prosa o acaso me criou na primeira tentativa,porque não patentear o método antes que algum cavalheiro me plagie ?

sábado, 10 de outubro de 2009

viagem a Paris

Com a minha esposa e ela com o seu marido, estivemos em Paris três dias.Não fomos a teatros. casinos, cabarets, nem visitamos museus. Passeamos quanto pudemos, sentámo-nos em muitas brasseries,cafés, restaurantes. Ela pesquizando todas as montras e conhecendo
as novidades mais importantes na moda,nos modelos e nas tendèncias.Eu,gozando desse fantástico espectáculo cosmopolítico que Paris nos proporciona a todas as horas.Na rua há tantos cidadãos do longínquo oriente como ocidentais. É raro ouvir-se uma palavra de francês nos passeios da avenida dos Campos Elísios, nos da Saint Germain ou nos centros comerciais.A temperatura estival,raparigas em minisaias,toda a gente em camisas de mangas curtas.O ocidente envia a moda para o oriente e eles vêm exibi-la para cá.Seria óptimo que muitos cá ficassem, para melhorar a natalidade na Europa e compensar a nova invasão islâmica.

sábado, 3 de outubro de 2009

terminei !

Terminei o meu livro "Sonho com sorte".Começei-o em 11/11/1909,deu-me imenso gôzo escrevê-lo.Quando sairem para a rua os primeiros exemplares cumprirei a promessa, vou rapar a pêra e o bigode.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

telemovel do futuro

não gosto de telemoveis.Passarei a usa-los se o Bill Gates os aperfeiçoar de forma a que surja um modelo transportável quando formos desta para uma vida melhor.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

o grande Pitágoras

Alem do teorema que todos os alunos do liceu sabíamos ( dantes,há7o anos,agora não sei se o sabem),Pitágoras escreveu e deixou-nos frases sublimes.Cito uma
"Eduquemos as crianças para não termos de castigar os homens".

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

agradecimento

Aqui manifesto o meu agradecimento (os meus e os da Mari,a minha esposa) aos nossos,pelo menos,190 milhões de antepassados terem namorado e amado o suficiente para que nós e principalmente os nossos filhos e netos cá aparecessemos e vivamos neste mundo. Digam lá se o acaso não é, muito frequentemente,uma certeza.Bastaria que um deles tivesse acabado o namoro ou tivesse sido morto numa daquelas guerras em que tantos deles se meteram.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

sobre a felecidade

"A felicidade não é fruto do acaso,nem é puro aprendizado de virtudes...é dádiva divina"
"A felicidade é uma actividade virtuosa da alma,os demais bens são a condição dela,ou são úteis como instrumentos para a sua realização" Aristóteles

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

maneiras de acertar

Acertei.Claro,ou saía uma ou a outra.Mas Quem na verdade nos governa é que sabe. A longo prazo,provavalmente lá para depois das nossas vidas é que aparecerão as boas consequências.Espero que pelo menos apareçam a tempo dos meus filhos ou dos meus netos descanasarem.E não é só isto,tão simples.Pensamos por vezes que só existem duas alternativas, e, Quem na realidade nos governa, tem e considerou mais não sei quantas. Ontem,até às 20 horas eu só considerava duas como possíveis.Eu,imaginem,eu ,que sou adepto do impossível !Agora, fiquei ainda mais adepto. Aguardo com curiosidade,sem apreensão o que aí vem.Isto também faz parte da esperança e do prazer de viver.Que podemos partilhar mas não temos de retribuir nem de pagar imposto.

domingo, 27 de setembro de 2009

viemos de lá

Milhões de gotas da chuva que cai do céu formam riachos estes juntam-se em afluentes que se unem no rio que acabará num lago ou no mar. De forma semelhante milhões de seres humanos se uniram,quais gotas da humanidade,se uniram e uniram até mim e à minha esposa.Qualquer ano,qualquer mes,qualquer dia chegaremos todos noutro rio, ao mesmo mar de todas as famílias e, provavelmente,no futuro,tambem seremos gotas a evaporar-se para o céu.

sábado, 26 de setembro de 2009

anedota

Aí pelos anos 1949 ou 1950 contava-se a anedota seguinte : numa reunião do conselho de ministros um destes pediu a palavra a Salazar e disse : "senhor presidente, a Alemanha e o Japão perderam a guerra e tiveram até agora um ressurgimento enorme. O nosso país encontra-se numa situação económica que se prevê cada vez mais dificil.Tenho uma proposta para apresentar, para tambem ressurgirmos proponho que declaremos guerra à Russia".
Grande silêncio na sala. Apenas um dos ministros,o da guerra (Santos Costa) pediu a palavra, dizendo :
- Isso é muito bonito,o problema é outro.
- Qual - interrogou Salazar.
- Qual ? E se ganharmos a guerra ?

Amanhã há eleição - previsão,sem sondagem

Não duvido, sei quem vai ganhar amanhã a eleição.Ficarei contente seja qual fôrem os vencedores. Fico contente porque é essa a vontade do Senhor dos nossos destinos. É provável que se uns ganharem, levarão o nosso Portugal a uma bancarrota e dêem uma abanão,uma cacetada grande nos portugueses, bem grande e suficiente para que o nosso pôvo acorde e se mobilize.O Senhor de todos nós não nos fará entrar e perder numa guerra que faça despertar o nosso pôvo,como sucedeu com a Alemanha e com o Japão, que após a última guerra ressurgiram das cinzas,algumas atómicas.Se Ele decidir que outros ganhem,no que não acredito, a nossa agonia e o nosso sofrimento serão muito mais lentos e talvez acabemos por apanhar com a mesma cacetada.Mas,nesta alternativa,poderão surgir melhores dias,no entender d'Aquele que decidir.É a alternativa que desejo,mas se acontecer a primeira,compreenderei porquê se fez a Sua vontade.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

a mensagem do senhor Obama

Não deixem de ler a mensagem do presidente Obama sobre o começo das aulas nos Estados Unidos.No blogue de Patrícia Reis está a transcrição completa da tradução.Eu propuz à senhora Patrícia Reis que se faça uma subscrição nacional para que seja editada esta mensagem, com destribuição em todas as escolas do nosso Portugal. Os governantes, quaisquer que sejam os que forem eleitos no próximo dia 27/9/09 , duvido que tenham interesse nisso.Se não o tiveram desde há trinta anos para cá,dificilmente mudarão. Se mudarem,as nossas preces foram ouvidas.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

o senhor acaso

O senhor acaso deveria ter um título nobiliárquico não daqueles que já não se usam mas ainda muitos exibem como herdados.Não com os usuais títulos da antiga nobreza(raramente nobre),don,barão,visconde,etc.,mas com outra classificação mais empregue numa elevada condição humana que se traduza na sobriedade,humor,companheirismo e bondade.No senhor acaso abundam todos estes quatro predicados. Acompanhem-me a pensar um pouco.O senhor acaso é sóbrio na simplicidade,moderado na frequência,gera humor em muitas situações que cria,é amigo,camarada,companheiro na ajuda para a resolução de muitos problemas e generoso e de mãos largas nos auxílios inesperados que concede. Eu estou convencido,pelo que tenho observado há umas dezenas de anos,que o senhor acaso com frequência também "escreve direito por linhas tortas" ou,como eu por vezes digo,escreve torto por linhas direitas.O senhor acaso,que é tão antigo aqui no planeta como o aparecimento da vida, por vezes dá um grande prémio numa lotaria a quem, passados uns anos, passa e se encontra na miséria,ou, parece-me que ainda pior, ao forreta que se encontra às portas da morte, numa idade imprópria e incapz para gozar o que ambicionava e que agora poderia obter.E por vezes,como eu torno a dizer,escreve torto por linhas direitas, se não contempla com alguma das suas benesses quem vive feliz a passar a vida que tem,por conhecer todo o passado e todo os futuros possíveis, sabendo que,alterando essa vida oferecendo-lhe um dos seus pedaços de acaso , a modificará para pior. Não me desculpo pelo que digo,antes me congratulo,se começaram a reflectir, a meditar .

domingo, 20 de setembro de 2009

dois dias sem o prazer do blogue

Não me agradaria tornar-me num procrastinador inveterado.Fiquei zangado comigo por ter-me esquecido do blogue e perdido o prazer que tenho mandando mais um para a electrónica.Nestes dois dias passados só me lembro do torneio de xadrez em que participei em Aiamonte acompanhado por mais cem partcipantes,mais de metade jovens de cinco a dezasseis anos. De sexta feira nada me lembro.Ontem antes de adormecer consegui pensar pr'ái durante um quarto de hora.Para combater esta inércia começo hoje a apontar o tempo que passo a pensar durante cada dia. Prometo que não aldrabarei a respectiva estatística.O meu IPE (instituto pessoal de estatística) é entidade honesta. Descreverei também o que fiz,além de tomar banho,vestir-me, calçar-me, satisfazer o apetite e outras ocupações rotineiras do dia a dia. Nem que seja para pensar o que escrever sobre coisa nenhuma,porque estas coisas nenhumas por vezes têm muita importância.Depende da sua classificação. Coisas nenhumas,para muita gente é tudo aquilo que não nos interessa,para outros será tudo aquilo em que não vale a pena pensar.Mas lá dizia o poeta, "tudo vale a pena..." já sabem o resto,os que não sabem não lhes importa e portanto esse resto,para eles, não vale a pena, não vale nada.Mas, naquele quarto de hora antes de adormecer, pensei no acaso.Assunto para o blogue de amanhã.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Os ministeriáveis

Os associados nos clubes que praticam o futebol,mais de um milhão em Portugal,muitos milhões em todo o mundo,aprovam que a direcção do seu clube pague, em muitos casos, milhões de euros a outro para trazer para o seu um jogador que se distingue da mediania, o que é legal.Não são menos fanáticos nem mais patrióticos que os inscritos num partido político. Se alguem me explicar porque os associados dum partido político não admitem convidar,sem despender um centimo,um ex-ministro doutro partido que foi sério,incorrupto,patriótico e exemplar quando foi ministro,para exercer as mesmas funções num novo governo doutro partido,se alguem me explicar,agradeço.É um desperdício para a nação.É difícil admiti-lo mas talvez se obtivessem conclusões menos fanáticas e de maior valôr para Portugal, se, em mesa redonda,conversássemos sobre o tema.

Um blogue muito bom

Que ela me perdoe mas não posso deixar de vos aconselhar que visitem o blogue de Patrícia Reis(http:/ Patrícia Reis.blogstop.com).São mensagens invulgares, falando da vida sem preconceitos e,principalmente,dizendo o que o coração lhe dita.Acreditem que vale a pena,é de graça,de borla,não pagam nada e muitas dessas mensagens fazem-nos pensar, o que,nos tempos que correm, é uma oferta melhor que um bom prémio do euromilhões.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Vulgaridades

Algumas das que mais nos perturbam,intimidam e nos transtornam:
- as demoras na justiça.
- o desinteresse pela esperança.
- a generalização da pobreza.
- a contaminação da apatia.
- a decadência do ensino.
- a ausência da delicadeza.
- a indiferença pelos atentados à vida.
- a propaganda desonesta.
Faltarão muitos dias para um futuro melhor ? Infelizmente,também isto é umavulgaridade.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

a foto deste vosso admirador

já cá está,foi a vitória de hoje.E está a 45 graus,não por desconsideração,mas é aue assim,já repararam ?, assim todos viram a cara para me verem e,o que é mais importante,sorriem.Conseguir que alguém sorria francamente,é uma vitória ou não é ?

Raridades destes tempos

São tantas que muita pessoas as olham com indiferença ou mal reparam, se não sofrem as consequências.Eis algumas:
- meninos e graúdos de bicicleta nas direcções e trajectos permitidos
- senhoras grávidas,meninas grávidas ainda menos.
- papás de cara radiante, com um filho ao colo ou às cavalitas
- casados com aliança, de mão dada,debraço dado ou abraçados
- mulher e marido, sentados no café, conversando e/ou sorrindo um para o outro.
- revolucionários com barba,pera ou bigode
- mercearias no bairro
- prateleiras nos supermercados com aquilo que queremos comprar
- um sorriso franco no funcionário público que nos atende
- cartas de amôr,daquelas muito ridículas...

domingo, 13 de setembro de 2009

As surpresas

Um autor conhecido disse que não tinha surpresas,não havia surpresas para ele.Que quem as tem manifesta pouca presença de espírito. Eu não concordo.Ele não se referia de certeza às surpesas, digamos, materiais,aos sustos tais como o rebentar duma bomba ao nosso lado,sair-nos um grande prémio da lotaria, apanharmos um encontrão inesperado.É provável que se referisse ao pasmo, ao assombro,ao espanto por algo que contenha dose considerável de imprevisto.Para mim as surpresas fazem parte da vida e estão inseridas no sentido da vida. Quer as surpresas momentâneas como encontrar na rua quem sabíamos muito longe e de quem sentíamos saudade resignada pela distância. Quer as surpresas contínuas e progressivas que o tempo nos concede, ao sentirmos, por exemplo, como vemos evoluir magnificamente a vida duma filha, de todos os nossos filhos.Conclusão : os que sofrem de pouca presença de espírito quase apenas sofrem sustos. Para os que a têm mais abundante,todas as surpresas, fazem parte da vida, quer as desagradáveis,os sustos,quer as outras, em particular as lentas, que nos ajudam a compreender o sentido da vida.

sábado, 12 de setembro de 2009

Bons e maus

O que é bom,parece um paradoxo,pode ser bom ou mau.P.ex., os intestinos.Sendo maus é um grande problema; sendo bons, podem ser maus porque por mais que variemos a dieta,não emagrecemos.Só emagreceremos se deixarmos de os abastecer - e mesmo assim passamos tres ou quatro dias sem perder peso ; se jejuamos mais de 3 ou 4 dias pode o intestino passar a ser mau ,com o tal grande problema. Mas passemos a outro exemplo menos prosaico, menos fisiológico. O tempo bom,sem vento,sem chuva, com sol e boa temperatura. Pode ser mau para muitos ou muita coisa. Mau para o agricultor se continua a seca, mau para a floresta que perdeu a ajuda da chuva para apagar o incendio.mau para o namorado que vê a sua amada entrar de ferias e fugir para as praias.Bom e mau, sentir a saudade. Será muito mau o não nos importarmos com a saudade,ser-lhe indiferente.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

António Quadros

Sou suspeito,porque ele era meu sobrinho.Mas não posso deixar de vos aconselhar que o leiam.Que leiam pelos menos os seus artigos no Diário Popular e no Diário de Notícias. Leiam a "viagem à Rússia", escrito nos anos sessenta.Uma prosa são escorreita,simples sem as muletas hoje tão frequentes dos "portantos" dos "jás" e "agoras", dos "....mente" dos "incontornáveis". Deixou-nos há alguns anos,acredito que não se perdeu que regressou e que o estamos de novo apreciando.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

sexta feira

Ainda há sextas feiras ? amanhã é outra sexta feira dizia um dos nossos antepassados depois que descobriram as quintas.Os egípcios parece-me que não ligavam nada a isso,diziam,o que era muito mais lógico, que a sombra da pirâmede ainda não tinha passado da tumba do avô, que a noite terminaria no começo do dia seguinte e começara no fim do dia passado - digam lá que não era muito mais lógico. Estes terráqueos dizem que o dia começa no meio da noite,não dizem o que é que começa no meio do dia porquê ? que falta de imaginação.E que a falta de respeito pelo criador.Se o Sol um dia desaparece,lá se vão as sextas feiras...

Quatro estrelas mais uma lá atrás

A menina Filipa Queiroz apresenta no número deste mes da revista " Os meus livros " uma crítica ao livro "Por detrás das paredes" de Alexandra Quadros, ali classificado com quatro estrelas .Concordo a crítica e não com a classificação.Falta um estrela que é natural que seja de primeira grandeza e que tenha ficado "por detrás " das que vemos.É a minha opinião,imparcialíssima,como não pode ser outra por parte dum pai que,democraticamente se arroga no direito de a colocar no patamar da boa fama e no altar do seu amor.Disse e quem discordar não é democrata...

Ave do paraíso ou ficulizio ?

Foi bom ter entrado há poucos dias na caixa do tempo e expressado alguns desejos.Um já se realizou. Após dois anos de bons tratos cá em casa, a sterlitzia está gerando a primeira flor.No entanto ainda não sei se se trata de de um ficulizio ou duma ave do paraiso. O ficus anda com um ar deveras comprometido,mas a sterlitzia,impávida,mostra-se eufórica, oiço-a cantar...

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Investimos

Fala-se agora muito no investimento que é necessário para diminuir o desemprego. Eu e a minha querida espôsa,casados há tão pouco tempo,apenas,(sem ironia, nem mal dizer,nem interesse em provocar espanto)apenas há 56 anos,4 meses,13 dias e 10 horas,não sentimos os anos passarem pelo nosso casamento.Sentimos cada hora que passamos juntos mais intensamente que os anos,meses,dias anteriores.E do investimento no nosso casamento,resultaram os quatro filhos maravilhosos que estavam desempregados da vida antes de nascer.A Clarissa,o João,a Paloma e a Alexandra.Em Mormugão,na Índia. vi o retrato do meu pentavô Castro(todos temos 64 pentavôs,não sei se já fizeram a conta),agradeci-lhe efusivamente.Espero que um dos meus pentanetos que veja um retrato meu me dê um sorriso e pense durante alguns segundos o mesmo que eu pensei quando vi o meu pentavô Castro, naquela parede de Mormugão.Retribuirei esse sorriso.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Um fanático

Conheço e conheci durante a vida,alguns fanáticos.Todos os que conheci,sem excepção(oxalá que algum dia encontre um diferente)têm,desenvolveram dupla personalidade.Não sei se um psiquiatra concorda comigo.Mas um fanático ,quando fala alto,fala duro.contundente,autoritário,implacável,submetendo imediatamente os tímidos,argumentando com agressividade os serenos,respondendo a uma pergunta comprometedora com argumentos racionais mas fora do contexto da questão que lhe foi apresentada.E o mesmo fanático,quando fala brando(se fala com outro fanático,assim fala)quando tem que dar um abraço ou dois beijinhos, aí apresenta o seu lado tolerante,contemporizador,liberal.Mas,se neste momento olharem para os seus olhos reparem que ele nunca consegue tirar o amarelo do sorriso.

domingo, 6 de setembro de 2009

Leituras

Lemos durante a vida o que muitos escreveram no passado,desde que conseguimos começar a ler ,até hoje,lendo e acumulando em prateleiras o que nos agradou ou deitando para o lixo o que nos desagradou ou o que não estava ao alcace da respectiva inteligência.Alguns, uns priveligiados a quem o destino proporcionou a luz numa parcialidade indecente,conseguiram amassar muito do que leram com uns pózinhos da experiência adquirida, regados por laivos de inteligência ao dispôr e salpicados com o humor necessário e suficiente para admitir a nossa ignorância e inferioridade perante o autor.Começo agora a desvendar muito do que está escrito no futuro,os que já começaram digam lá se não é uma maravilha ? Se algum dos que lerem isto quizer que, eu explico,não explico agora(...),explicarei no futuro.

A caixa do tempo

Aparece-me de vez em quando a caixa do tempo.Faço-a aparecer quando quero,descobri -o por acaso.Basta-me abrir o acaso e está lá dentro a caixa o tempo. Quando agora entrei nela, lá dentro tudo é escuridão, dou por mim comodamente deitado em cima de estrelas tão suaves com algodão ou sumauma.Ao meu lado, flores contam-me segredos de família,o relógio de pulso parou e do filme de que aparece à minha frente sai o meu tio-avô João e vem para junto a mim trazendo-me sentado nos joelhos,com sete anos de idade e ensinando-me quadras brejeiras. A caixa do tempo fecha-se,o relógio de pulso recomeça a andar e aqui estou de novo a esrever este blogue...

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Não resisto

a dar-vos esta citação : "Passava ante-hontem um carro na travessa das Almas,e os desalmados dos bois,sem attenção nenhuma às luzes que esclarecem os moradores d'esta nobre capital,foram,cegos e desvairados de encontro a um candieiro de gaz e pregaram com elle em terra,metendo em trabalhos o pobre carreiro que os conduzia e mais um sujeito que teve a desfortuna de o acompanhar.Debaixo dos pés se levantam os trabalhos."- publicado no Diário de Notícias,nº 746 de 10 de Julho de 1867 . Lindo.E o DN custava então "cada número 10 reis".

terça-feira, 1 de setembro de 2009

O sentido da vida

Qual é o teu,o meu,o nosso sentido da vida? .Qual o sentido do que fizemos neste infinitésimo do tempo que nos foi concedido viver?. Foi apenas para procriar,para propagar a espécie ? foi só mais um passo curto na evolução ? não,não acredito que só nos foi concedida para isso esta vida que estamos trilhando. Já escrevi um pouco mais sobre este assunto,gostaria de ler a vossa opinião.

domingo, 30 de agosto de 2009

voltamos às estatísticas

Servem para tudo e para enganar quem goste ,quem não pense,quem não se interesse.As estatísticas são como as generalidades : são boas para muitos serviços.Quando um senhor ministro ou uma senhora ministra diz "toda a gente..."lembro-me sempre de ouvir um analfabeto contar : um, dois, muitos.Quando diz que socorreram mais cincoenta por cento de pessoas não sei se passaram de dois para tres ou de um milhão para um milhão e meio os socorridos.Mas não diz,por exemplo,que dois mil portugueses,que são muitos, com gripe, representam dois centésimos da população,que é poucochinho.Muitos,em geral,normalmente,assim assim,mais ou menos...Vistas grossas...

sábado, 29 de agosto de 2009

Estas últimas páginas...

As últimas páginas do meu livro (situado 19 lugares antes dos vinte que hei de escrever,é uma promessa)fizeram-me lembrar a fase final dum parto:pode ser lenta e demorada,ou rápida, o bébé pode sair a jacto e ir aterrar no linóleo da enfermaria,como sucedeu com o nosso filho gerado em beleza pela minha esposa há cincoenta e quatro anos. De igual forma espero que as palavras do final do meu livro, saiam a jacto lá de dentro do emaranhado de idéias que pululam(gostais ,não gostais do pulular ?)cá dentro do meu craneo.Entre o receio do plágio disfarçado na esperança da ignorância do leitor e a insatisfação pela qualidade da obra, ora me apetece atirar para o balde do lixo o computoescrito do livro ora o meu eu me pede respeito pelo feito, desfraldando-me a vaidade e criticando-me a modestia.
Quando entro numa livraria e pego num livro que me atrai pelo título,pela capa,pelo autor, costumo ler algumas páginas no princípio,no meio e ou no fim.E compro-o se gosto da idéia,se me encanta a prosa,se sinto ganas de continuar a lê-lo.Pretendo que a prosa do meu seja simples,que o início atraia pelo inusitado e pela fantasia, e que o final ofereça alguma coisa de consistente e de vital : uma contribuição para um provável sentido da vida.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Como respondem aos meus escritos

- Os meus antepassados :dando-me alguma inspiração.
- Os que me lêm : torcendo o nariz.
- Os invejosos : copiando-me,assobiando para o lado esquerdo.
- O Boogie (o senhor cão da minha filha Paloma,esta ensinou-o a ler)) : abanando o rabo.
- Os meus 4 netos mais velhos : dizem sim com a cabeça.
-Os 2 mais novos: ainda não lidam com a internet.
- Os e as ucranianas : grnia passiba farnia udovska(traduzo amanhã, ou não sereicapaz)
- Os meus filhos : com beijos e exageros.
- A minha consorte : com propostas muito decentes..
- O meu "eu" grande : tens tempo,aquieta-te, aprende mais.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Pára

"Pára,mesmo que continues a andar.Pára,deixa esse invólucro de sensações que te rodeia como manto peganhento.Pára,abstrai,pensa no que te fica dentro.Mesmo que continues a andar.O mais dificil é o primeiro minuto.E esse teu eu profundo começa a sorrir-te,não com o teu rôsto,mas com revelações, com as primeiras migalhas de serenidade."- do livro "sonho com sorte" do autor deste blogue,a sair brevemente

Procura

"Procura ocupar-te como se vivesses sempre e venerar como se morresses hoje"-dum anónimo.

O paradoxo das impossobilidades

Poucos de nós e de vós pensamos que foram necessárias prá aí quase ou mais de 100.000(cem mil,façam as contas !) gerações para aparecermos cá neste planeta.Já tendes a consciência dessa "impossibilidade" ? se um desses 1oo.ooo por onde o meu "eu" passou tivesse morrido à nascença,(o que era tão "possivel"...) este meu eu exterior não teria aparecido e o mais pro vável seria que o meu "eu" interior tivesse ido parar à China.Talvez por isso é tão dificil meditar,passar para o nosso "eu" interior.Experimentem e depois,não sejam ingratos, agradeçam aos vossos antepassados...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Por vezes digo-me a mim

Não uses manhas
Nem artimanhas
Dá-me um sorriso
Dá-me outro beijo

Quero com calma
Sentir na alma
Estando tão longe
Que a mim me olhas

sábado, 22 de agosto de 2009

excepção como regra

"Na sorte,somos a excepção como regra,disse Júlia para Fernando" citação extraida do livro "Sonho com sorte",a sair brevemente.

a gripe R

Já há sinais da gripe R, a dos "ratones" que vemos começarem a pôr a cabeça de fora do buraco onde se meteram,doentes,quando apareceram perigosos sinais relativos aos resultados das próximas eleições.Alguns,já curados,vestiram uma camisa nova,de cor mais suave.

a gripe H

Posso ter percebido mal.Mas ouvi a senhora ministra da saude depois de anunciar que já mais de 1500 portugueses,até ontem tinham apanhado a gripe H,disse que mais de noventa por cento dos doentes tinham ficado em casa e se tinham curado sem quaisquer cuidados especiais,que felizmente não houve mortos.Em que ficamos,é esta gripe mais perigosa que a gripe que ataca os portugueses todos os anos,causando algumas mortes, ou não é ?Por outro lado ouvi também há alguns dias anunciarem que a aspirina não serve de nada para combater esta gripe.Mas certamente a reacção da Bayer(a produtora da aspirina)foi grande,nunca mais se ouviu essa notícia da ineficácia da aspirina.E o Tamiflu já está a ser importado aos milhares.Em que ficamos em toda este alarme com a gripe H ?No México,onde começou,jã não falam dela.Os jornais em Espanha nada referem dessa gripe enquanto os media portugueses,em particular a televisão,continuam a lançar notícias alarmantes.Provavelmente serão importados uns largos milhões de vacinas... Oxalá,tambem já me contagiaram(mas com esta propaganda),oxalá que a minha ironia tenha razão de ser.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Excellence

"If you are going to achieve excellence in big things,you develop the habit in little matters.Excellence is not an exception,it is a prevailing attitude" - Colin Powell-

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

ontem fiz noites

explico :como uma vez por ano faço anos,nalguns dias faço dias ,nalgumas noites,faço noites.Ontem foi uma noite dessas.Reunimos família próxima e afastada.Umas cinco gerações,dos oito aos oitenta e dois anos.Num restaurante situado no alto de Alvôr, vendo ao fundo,detrá do mar,as luzes de Lagos,numa noite maravilha.Recordámos muitos dos nossos,rimos,não falámos mal de ninguém,rimos,beijámo-nos antes ,durante e à partida.E despedimo-nos com amizade ,contentes, dos donos do restaurante.Quem me dera fazer mais noites como esta.Que não se perdem. E tantas noites que se perdem, sem darmos por isso, durante a vida!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

os actuais de antigamente

De há 2.500.000 de anos até hoje os humanos têm evoluido.Alguns,contudo, são restos e amostras do paleolítico, que vão surgindo,aqui e ali.Já usam camisas,automóveis,computadores mas ainda matam o seu semelhante sem ser para defender o território ou a família. Muitos,felizmente, são exemplos da evoluçao de sentimentos louváveis. Outros surgem-nos com actos que ferem ou prejudicam o seu semelhante, actos estranhos aos instinto e desconhecidos entre todas as outra espécies,parece que também desconhecidos na idade da pedra. Qual é o único animal que mata por prazer,que deixa de ser leal para quem o ajuda a sobreviver,que o rouba para enriquecer, que,por diversos ou nenhuns motivos, tem vaidade ? Não será possível contribuirmos para aquele evolução e,ao mesmo tempo contribuirmos para diminuir estes prejuizos ?

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

as irrecusáveis

Consegui até hoje recusar duma forma irrepreensível e terminante, todas as propostas irrecusáveis.Estou decidido a recusar no futuro esta decisão,para verificar se me darei pior com esta indecisão. Há normas de vida pouco salutares que devemos adoptar,na procura incessante da felicidade.áááá,que bonito !.Serão vocês capazes de o dizer pior ?

medianamente

Medianamente,não finalmente,começo a apreciar:
os passos que não dei
a queda que não dei no precipício dos teus olhos
os foguetes que não atirei
as loucuras que não cometi
o crédito bancário que não me concederam
as malandrices que há setenta anos não lhes fiz àqueles velhos chatos de setenta anos
as receitas prá saude que os médicos me passaram
Porque consegui,com um pouco de tudo isto e um tudo disto pouco,que me desses uns daqueles teus sorrisos.

domingo, 16 de agosto de 2009

Que eu pergunto

Que eu pergunto,no avesso da vida :qual foi o sentido da minha vida ? da tua ?da dele ?
A vida...

Como uma barca perdida
Que parece abandonada
Saltamos do nada à vida
Caímos da vida no nada
Será ?
Porque a vida..
Por vezes fico a pensar
Como é bom contigo viver
Mas não consigo é explicar
A razão de eu cá nascer
Vaidades...
O amôr foi a razão ?
Do sofrer e do viver ?
Os filhos compensação ?
P'ra o coração entender ?
Suspeita
Só por eles,por mim, nem por bem nem por mal
E assim compreender
Que eu um dia,afinal
Tenha de acabar e morrer

Mas até lá...
Fiquei há muito a saber
Sem qualquer explicação
Não custar nada viver
Se sentimos o coração