Número total de visualizações de página

domingo, 30 de agosto de 2009

voltamos às estatísticas

Servem para tudo e para enganar quem goste ,quem não pense,quem não se interesse.As estatísticas são como as generalidades : são boas para muitos serviços.Quando um senhor ministro ou uma senhora ministra diz "toda a gente..."lembro-me sempre de ouvir um analfabeto contar : um, dois, muitos.Quando diz que socorreram mais cincoenta por cento de pessoas não sei se passaram de dois para tres ou de um milhão para um milhão e meio os socorridos.Mas não diz,por exemplo,que dois mil portugueses,que são muitos, com gripe, representam dois centésimos da população,que é poucochinho.Muitos,em geral,normalmente,assim assim,mais ou menos...Vistas grossas...

sábado, 29 de agosto de 2009

Estas últimas páginas...

As últimas páginas do meu livro (situado 19 lugares antes dos vinte que hei de escrever,é uma promessa)fizeram-me lembrar a fase final dum parto:pode ser lenta e demorada,ou rápida, o bébé pode sair a jacto e ir aterrar no linóleo da enfermaria,como sucedeu com o nosso filho gerado em beleza pela minha esposa há cincoenta e quatro anos. De igual forma espero que as palavras do final do meu livro, saiam a jacto lá de dentro do emaranhado de idéias que pululam(gostais ,não gostais do pulular ?)cá dentro do meu craneo.Entre o receio do plágio disfarçado na esperança da ignorância do leitor e a insatisfação pela qualidade da obra, ora me apetece atirar para o balde do lixo o computoescrito do livro ora o meu eu me pede respeito pelo feito, desfraldando-me a vaidade e criticando-me a modestia.
Quando entro numa livraria e pego num livro que me atrai pelo título,pela capa,pelo autor, costumo ler algumas páginas no princípio,no meio e ou no fim.E compro-o se gosto da idéia,se me encanta a prosa,se sinto ganas de continuar a lê-lo.Pretendo que a prosa do meu seja simples,que o início atraia pelo inusitado e pela fantasia, e que o final ofereça alguma coisa de consistente e de vital : uma contribuição para um provável sentido da vida.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Como respondem aos meus escritos

- Os meus antepassados :dando-me alguma inspiração.
- Os que me lêm : torcendo o nariz.
- Os invejosos : copiando-me,assobiando para o lado esquerdo.
- O Boogie (o senhor cão da minha filha Paloma,esta ensinou-o a ler)) : abanando o rabo.
- Os meus 4 netos mais velhos : dizem sim com a cabeça.
-Os 2 mais novos: ainda não lidam com a internet.
- Os e as ucranianas : grnia passiba farnia udovska(traduzo amanhã, ou não sereicapaz)
- Os meus filhos : com beijos e exageros.
- A minha consorte : com propostas muito decentes..
- O meu "eu" grande : tens tempo,aquieta-te, aprende mais.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Pára

"Pára,mesmo que continues a andar.Pára,deixa esse invólucro de sensações que te rodeia como manto peganhento.Pára,abstrai,pensa no que te fica dentro.Mesmo que continues a andar.O mais dificil é o primeiro minuto.E esse teu eu profundo começa a sorrir-te,não com o teu rôsto,mas com revelações, com as primeiras migalhas de serenidade."- do livro "sonho com sorte" do autor deste blogue,a sair brevemente

Procura

"Procura ocupar-te como se vivesses sempre e venerar como se morresses hoje"-dum anónimo.

O paradoxo das impossobilidades

Poucos de nós e de vós pensamos que foram necessárias prá aí quase ou mais de 100.000(cem mil,façam as contas !) gerações para aparecermos cá neste planeta.Já tendes a consciência dessa "impossibilidade" ? se um desses 1oo.ooo por onde o meu "eu" passou tivesse morrido à nascença,(o que era tão "possivel"...) este meu eu exterior não teria aparecido e o mais pro vável seria que o meu "eu" interior tivesse ido parar à China.Talvez por isso é tão dificil meditar,passar para o nosso "eu" interior.Experimentem e depois,não sejam ingratos, agradeçam aos vossos antepassados...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Por vezes digo-me a mim

Não uses manhas
Nem artimanhas
Dá-me um sorriso
Dá-me outro beijo

Quero com calma
Sentir na alma
Estando tão longe
Que a mim me olhas

sábado, 22 de agosto de 2009

excepção como regra

"Na sorte,somos a excepção como regra,disse Júlia para Fernando" citação extraida do livro "Sonho com sorte",a sair brevemente.

a gripe R

Já há sinais da gripe R, a dos "ratones" que vemos começarem a pôr a cabeça de fora do buraco onde se meteram,doentes,quando apareceram perigosos sinais relativos aos resultados das próximas eleições.Alguns,já curados,vestiram uma camisa nova,de cor mais suave.

a gripe H

Posso ter percebido mal.Mas ouvi a senhora ministra da saude depois de anunciar que já mais de 1500 portugueses,até ontem tinham apanhado a gripe H,disse que mais de noventa por cento dos doentes tinham ficado em casa e se tinham curado sem quaisquer cuidados especiais,que felizmente não houve mortos.Em que ficamos,é esta gripe mais perigosa que a gripe que ataca os portugueses todos os anos,causando algumas mortes, ou não é ?Por outro lado ouvi também há alguns dias anunciarem que a aspirina não serve de nada para combater esta gripe.Mas certamente a reacção da Bayer(a produtora da aspirina)foi grande,nunca mais se ouviu essa notícia da ineficácia da aspirina.E o Tamiflu já está a ser importado aos milhares.Em que ficamos em toda este alarme com a gripe H ?No México,onde começou,jã não falam dela.Os jornais em Espanha nada referem dessa gripe enquanto os media portugueses,em particular a televisão,continuam a lançar notícias alarmantes.Provavelmente serão importados uns largos milhões de vacinas... Oxalá,tambem já me contagiaram(mas com esta propaganda),oxalá que a minha ironia tenha razão de ser.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Excellence

"If you are going to achieve excellence in big things,you develop the habit in little matters.Excellence is not an exception,it is a prevailing attitude" - Colin Powell-

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

ontem fiz noites

explico :como uma vez por ano faço anos,nalguns dias faço dias ,nalgumas noites,faço noites.Ontem foi uma noite dessas.Reunimos família próxima e afastada.Umas cinco gerações,dos oito aos oitenta e dois anos.Num restaurante situado no alto de Alvôr, vendo ao fundo,detrá do mar,as luzes de Lagos,numa noite maravilha.Recordámos muitos dos nossos,rimos,não falámos mal de ninguém,rimos,beijámo-nos antes ,durante e à partida.E despedimo-nos com amizade ,contentes, dos donos do restaurante.Quem me dera fazer mais noites como esta.Que não se perdem. E tantas noites que se perdem, sem darmos por isso, durante a vida!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

os actuais de antigamente

De há 2.500.000 de anos até hoje os humanos têm evoluido.Alguns,contudo, são restos e amostras do paleolítico, que vão surgindo,aqui e ali.Já usam camisas,automóveis,computadores mas ainda matam o seu semelhante sem ser para defender o território ou a família. Muitos,felizmente, são exemplos da evoluçao de sentimentos louváveis. Outros surgem-nos com actos que ferem ou prejudicam o seu semelhante, actos estranhos aos instinto e desconhecidos entre todas as outra espécies,parece que também desconhecidos na idade da pedra. Qual é o único animal que mata por prazer,que deixa de ser leal para quem o ajuda a sobreviver,que o rouba para enriquecer, que,por diversos ou nenhuns motivos, tem vaidade ? Não será possível contribuirmos para aquele evolução e,ao mesmo tempo contribuirmos para diminuir estes prejuizos ?

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

as irrecusáveis

Consegui até hoje recusar duma forma irrepreensível e terminante, todas as propostas irrecusáveis.Estou decidido a recusar no futuro esta decisão,para verificar se me darei pior com esta indecisão. Há normas de vida pouco salutares que devemos adoptar,na procura incessante da felicidade.áááá,que bonito !.Serão vocês capazes de o dizer pior ?

medianamente

Medianamente,não finalmente,começo a apreciar:
os passos que não dei
a queda que não dei no precipício dos teus olhos
os foguetes que não atirei
as loucuras que não cometi
o crédito bancário que não me concederam
as malandrices que há setenta anos não lhes fiz àqueles velhos chatos de setenta anos
as receitas prá saude que os médicos me passaram
Porque consegui,com um pouco de tudo isto e um tudo disto pouco,que me desses uns daqueles teus sorrisos.

domingo, 16 de agosto de 2009

Que eu pergunto

Que eu pergunto,no avesso da vida :qual foi o sentido da minha vida ? da tua ?da dele ?
A vida...

Como uma barca perdida
Que parece abandonada
Saltamos do nada à vida
Caímos da vida no nada
Será ?
Porque a vida..
Por vezes fico a pensar
Como é bom contigo viver
Mas não consigo é explicar
A razão de eu cá nascer
Vaidades...
O amôr foi a razão ?
Do sofrer e do viver ?
Os filhos compensação ?
P'ra o coração entender ?
Suspeita
Só por eles,por mim, nem por bem nem por mal
E assim compreender
Que eu um dia,afinal
Tenha de acabar e morrer

Mas até lá...
Fiquei há muito a saber
Sem qualquer explicação
Não custar nada viver
Se sentimos o coração

sábado, 15 de agosto de 2009

não me perguntem

Não me perguntem pelos termos,nem pelos meios,nem pelos quartos às escuras.Não me façam as perguntas idiotas a que eu sei responder.Deêm-me qulauer coisa que me vire a vida do avesso para ver o quelá está - como eu quiria em menino ver a outra face da lua que o prof dizia que estava sempre às escuras,eu não acreditava,sinceramente não acreditava,um dia até ele me ralhou porque eu lhe perguntei quando tinham apagado a luz do outro lado da lua.Continuo depois.

somho

Diz o Talmude : "Um sonho que não se interpreta é como uma carta que não se lê"

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Boas graças

"
Mas boas graças é coisa efémera"de Ovídio em "Metamorfosis".(trad.de Paulo Farmhouse Alberto)
A beleza é uma das coisas efémeras, quer ensinar Ovídio quando refere a transformação duma bela jovem em monstro horrendo,após ter um filho,de Júpiter,por quem fora seduzida e violada.

A família dos deuses da antiguidade era assim.Vingativos,como Diana.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

entrevista do dr.M.Carreira na noite passada

acbo de rever na Wilkipedia a entrevista dada pelo dr.M:Carreira.O entrevistador foi José Gomes Ferreira.Ali se podem ver diversas entrevistas concedidas por Mc.A não perder.Exemplar.Até serve para comparar as suas idéias e comentários um ano depois.

dr.Medina Carreira

A SIC deveria editar,para venda, as entrevistas com o doutor M.Carreira(não sei se é doutorado,se não é,merece se-lo).Quem o viu e ouviu ontem na entrevista que concedeu à
SIC deve ter ficado,como eu fiquei,com pena de não a ter gravado.O entrevistador,competente ,sereno e delicado(não me lembro o seu nome,amanhã referi-lo-ei)aguentou, com enorme desportivismo,as reacções por vezes tempestuosas e os epítetos e impropérios que salpicaram as respostas do dr.MC,reflexo quase sempre do desejo repetido que este manifestou,para que o entrevistador não perdesse tempo, na entrevista, com banalidades.Mas o importante é que dessa entrevista ficaram na memória duas ou tres verdades :a dívida externa ,a solução para evitar a bancarrota, começar a resolver os grandes problemas do país(educação,justiça,saude,assistência social).Pelo meio foi referindo a superficialidade dos programas dos partidos políticos já apresentados; a corrupção generalizada;os verdadeiros objectivos,com excepções,destes candidatos ao parlamento.É uma pena que,quem nos pretenda governar,não queira ou não possa contar com o dr.Medina Carreira,nem que seja apenas como amigo e confidente.Quem o viu e ouviu,de certeza que ficou alarmado quando ouviu a comparação da nossa situação actual com a de Portugal em 1926.Os mesmos desvarios conduzirão às mesmas consequências: é uma lei da vida.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

"paches" de água a ferver

Começam a rarear as coisas simples.Desde o que usamos até às soluções para diversos problemas que o dia a dia nos apresenta.Lembro-me que quando um aranhão num dedo,(era eu miúdo de seis ou sete anos) se infectou,a minha mãe me disse " põe paches de água a ferver,filho".-Oh! mãe,a ferver não consigo !- "põe o pache mais quente que consigas!".Lá aguentei o pache ainda bem quente.Sempre usei,até hoje,com sucesso, a mesma receita.No dia seguinte a infecção já tinha passado.Hoje, um miúdo com um aranhão infectado,vai,de ambulância,para a urgencia do hospital.A tremenda(menos que a dos anos anteriores),mortal(matou menos que as gripes anteriores)gripe que nos está atacando fez-me lembrar os "paches" de água a ferver.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

esposa de mais de quarenta

Tenho,há alguns anos,uma esposa com mais de quarenta anos de idade(e mais de casada comigo).Todos os dias dá-me um abraço forte que retribuo por sinal ao mesmo tempo.Tem qualidades invejaveis.Entre muitas outras,sorri.Conseguimos,sem grande esforço,ter e criar tres filhas e um filho(os homens não sabem avaliar o esforço duma esposa para ter e criar tresfilhas e um filho.Isto deve ser escrito doutra forma: OS HOMENS NÃO SABEM AVALIAR O ESFORÇO DUMA ESPOSA PARA TER E CRIAR TRES FILHAS E UM FILHO).Pensam que sim,que já agradeceram o suficiente, por pura ignorância, pelos"que importância tem isso" ou avaliações do mesmo quilate.Só o começam verdadeiramente a avaliar, quando reparam no trabalho duma filha com o seu primeiro bébé.O que me vale é aquele abraço, ao princípio de todos os dias.

domingo, 9 de agosto de 2009

arrependimento

Para quê ? com que fim ?-não serve de nada.Com que princípios?-não há princípios para o arrependiento.Vende-se?-ninguem dá alguma coisinha por ele.Troca-se?-é uma desonestidade propor tal troca. Sendo uma inanidade só alguem a troca por outra coisa igualmente fútil.Serve de consolo,p.ex. quando partes uma linda jarra?-os poderes universais determinaram e concentraram-se implacavelmente para que partisses a jarra.Quando muito, consola-te envolvendo os bocadinhos em papel ilustrado e deitando-os no caixote do lixo.É o princípio da confissão dum pecado teu?-se jurares que não repetes...Arrependimento do que não fizeste ?-já estão bem usados e gastos, essa vaidade do teu amor próprio,esse plágio auto-elogioso.Arre!,arre-burro!,arre macho! normalmente fazem mais efeito, embora seja um efeito mais prosaico.

sábado, 8 de agosto de 2009

agradecimentos

O agradecimento é uma exigência exquisita do ser humano vulgar.Só própria do ser humano vulgar .Os animais não nos agradecem,reconhecem posteriormente no seu trato,no seu comportamento,o que lhes fizemos. As plantas também reconhecem o que lhes dedicamos no viço,nas flores, nos frutos que nos apresentam e oferecem.Até as pérolas e as pedras o reconhecem. O ser humano é mais exigente, exige, pelo menos espera,aguarda,palavras de reconhecimento,mesuras submissas, retribuições por vezes em dôbro ou mais.As mulheres e os homens excepcionais não esperam nem se lembram nada disso.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

citações de Fernanda de Castro

-" sou uma mulher velha mas nunca serei uma senhora de idade" (como dizia a tia Maria José)
-"na minha família não se vende,compra-se"(citando uma bisavó)
-"é quando chega a idade da razão quw as pessoas deixam de ter razão"
-"não leias demasiado o que os outros escrevem se queres escrever o que os outos leiam"
-(o pai,referindo-se à M.Fernanda)" quantas vezes digo que esta não serve para cavalo de cortesias"
-"a maior parte da riqueza dos milionários americanos começou no dia em que venderam o primeiro jornal ou engraxaram o primeiro par de botas"
do livro "Ao fim da memória", de Fernanda de Castro

domingo, 2 de agosto de 2009

o prazer de dar

"O prazer repetido de dar não constitue um vício nem é uma obsessão"- em "sonho com sorte",no livro meu,quase pronto a sair para as bancas.

sábado, 1 de agosto de 2009

censura

"Censura-o o avô,censura o Atamante, censuram-no todos os outros seus familiares e em vão se esforçam por o conter.Os conselhos enfurecem-no;ao ser contida, a cólera irrita-se ainda mais e cresce e os esforços para o reter fazem pior.." Ovídio - "metamorfosis"