Número total de visualizações de página

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Estou-me nas tintas

Hoje foi para mim um desses dias não, que toda a gente tem mas que, graças a Deus, em mim não são frequentes. Mas hoje foi: parti um copo, ,escorreguei e dei um tombo no quarto de banho, levei duas horas a limpar as pratas, pensando de vez em quando, nos intervalos em que conseguia não me preocupar com as manchas nas caixas, nas salvas e noutras peças daquele metal nobre, pensei poupo nas compras e tenho aqui nestes metais nobres um valor que não levarei comigo para a próxima vida, ao passo que talvez o sabor dum bom petisco lá sempre se recordará. E dei comigo a certa altura tanbém  a pensar que me deveria estar nas tintas para esse trabalho pelo motivo antes referido, não o levarás contigo, com manchas ou sem manchas. Mas por fim venceu o meu gosto pelo brilho da prata e lá consegui acabar a empreitada.
            Essa expressão - estou-me nas tintas - é bem usada. Pesquizei sobre a sua origem, depois de consultar muita coisa na Internet e na Google, a justificação que me parece ser a mais certa, descrevo-a com um pequeno diálogo entre dois esposos:
                   - Manel - grita a esposa lá da cozinha - não te desqueças que tens de me trazer os
nabos que te pedi para a sopa.
                    - Oh Chica, agora estou-me nas tintas, tenho dacabar de pintar esta porta!
                     - Atão já que testás nas tintas, vou-me plas nabiças.
          Chegando à praça a Chica encontrou uma  amiga, daquelas verrinosas, que, assim que a viu lhe disse:
                      - Atão Chica na te gabavas que o teu homem é que te tirava dos trabalhos de vires à praça?
                       - Olha Vanessa ele está-se nas tintas, pra vir na pode.
           As vendedoras e as clientes que ouviram, desataram numa risota,e a expressão pegou.

Sem comentários:

Enviar um comentário